RCB/TuneIn
Sexta, 07 Ago 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“DIVISÕES PODEM SER ACENTUADAS”
Rádio Cova da Beira
O presidente da secção regional de Castelo Branco da ordem dos médicos considera que a proposta apresentada por Álvaro Amaro, no sentido de se avançar com a criação de um centro hospitalar entre a Covilhã e a Guarda, iria acentuar ainda mais as desigualdades existentes na região.
Por Nuno Miguel em 29 de Nov de 2018
Questionado pela RCB sobre a proposta apresentada pelo autarca da Guarda, Ernesto Rocha é peremptório “o senhor presidente da câmara da Guarda terá as suas razões, mas são as suas razões. Não são as razões de uma região. Eu acho que isso vai a favor das divisões, que é algo contra que nós temos de lutar, tornando o interior cada vez mais interior. O único defeito que a nossa região tem em matéria de acessibilidades, e sem querer aqui meter política pelo meio, é o pagamento de portagens e que os dois principais extremos estão a menos de uma hora de viagem não se comporta que haja a criação de um centro com apenas dois hospitais, deixando o hospital mais a sul de fora. Não há razão nenhuma”.  
O presidente da secção regional de Castelo Branco da ordem dos médicos acrescenta que não faz sentido deixar de fora desta proposta a unidade local de saúde de Castelo Branco e deixa mesmo como exemplo o serviço que dirige, a unidade de nefrologia, que presta apoio a todos os doentes da Beira Interior “o serviço de referência em nefrologia existe apenas em Castelo Branco mas não é por isso que não deixamos de dar apoio nefrológico ao hospital da Guarda. Todos os dias recebemos doentes da Guarda. É uma opinião do presidente da câmara mas, na minha opinião e olhando para o contexto geral parece-me determinantemente errada porque isso leva às divisões e a sentirmos que estamos cada vez mais no interior”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados