RCB/TuneIn
Terça, 20 Ago 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
AUDIÊNCIAS MARCADAS
Rádio Cova da Beira
O presidente da câmara de Belmonte tem agendadas para o próximo dia cinco de Dezembro duas audiências, com os secretários de estado da administração interna e da valorização do interior, tendo em vista reverter a decisão tomada pela GNR de manter a funcionar o posto daquela força de segurança em Caria como unidade de atendimento, com a transferência dos restantes militares para o posto da sede de concelho.
Por Nuno Miguel em 21 de Nov de 2018
A decisão é justificada com o reduzido número de efectivos que actualmente prestam serviço nos dois postos e António Dias Rocha vai procurar sensibilizar os governantes para a necessidade de reforçar o número de militares e dessa forma evitar que o posto de Caria exerça apenas funções administrativas “já conseguimos marcar uma audiência com a secretária de estado adjunta e da administração interna e também como secretário de estado para a valorização do interior e que estão marcadas para dia cinco de Dezembro. Lá estaremos para lhes mostrar que o ideal era reforçar o número de militares que exerce funções no nosso concelho e assim haveria condições para os dois postos da GNR continuarem a prestar o serviço que até aqui tem prestado às nossas populações”. 
O autarca mostra-se indignado com esta decisão, que foi conhecida da última semana, e embora esteja agendada uma reunião para avaliar a situação, que vai decorrer antes do final do mês, garante que não vai baixar os braços no sentido de reverter esta decisão “estramos indignados com esta situação; primeiro foram os CTT, agora é a GNR. O que é que virá a seguir? A caixa geral de depósitos? O notariado? As finanças? Temos de deixar bem claro que por estarmos no interior não somos diferentes dos outros e queremos ter as mesmas condições na saúde, na segurança ou na educação porque as nossas populações merecem isso tanto ou mais do que as que estão no litoral”.   
Também a bancada da oposição se mostra muito preocupada com esta situação. Para Luís António Almeida esta situação pode ser o primeiro passo no sentido de encerrar em definitivo as instalações na GNR em Caria “o senhor capitão disse-nos na reunião que tivemos que o posto que não encerra. Mas em 2016 houve uma inspecção aos postos da GNR e o IGAI sugeriu à guarda nacional republicana que todos os postos que estivessem em função de horário reduzido seria para encerrar. Nós pensamos que isto é o princípio do fim e não aceitamos que tal venha a acontecer. Estamos convictos de que a intenção é encerrar o posto, embora o senhor capitão nos diga que não”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados