RCB/TuneIn
Sexta, 16 Nov 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
ESTRATÉGIA NUNCA FOI IMPLEMENTADA
Rádio Cova da Beira
Portugal ainda não tem implementada uma verdadeira estratégia de combate à pobreza. A ideia foi deixada pelo coordenador do núcleo distrital da rede europeia anti pobreza durante um debate sobre a matéria que decorreu nas instalações da associação Mutualista Covilhanense.
Por Nuno Miguel em 04 de Nov de 2018
Alcides Monteiro sublinha que esse documento já foi elaborado e entregue ao governo há sensivelmente quatro anos, as suas conclusões foram publicadas mas “no meu entender falta dar o passo fundamental que é passar à prática. A rede europeia anti pobreza tem manifestado a sua estranheza pelo facto de nos nossos sucessivos planeamentos e orçamentos ainda não aparecerem iniciativas direccionadas, especificamente para a luta contra a pobreza e não numa abordagem transversal. Precisamos de iniciativas verdadeiramente direccionadas para esse combate e infelizmente no nosso país isso ainda não existe”.     
De acordo com os dados da rede, existem em Portugal cerca de dois milhões de pessoas que vivem no limiar da pobreza e cerca de 18 por cento dos agregados familiares não tem mais do que um filho por falta de condições financeiras. Um facto que está directamente relacionado com a quebra de natalidade a que se tem vindo a assistir, nomeadamente nos territórios de baixa densidade “estamos a falar de famílias que, pelos seus rendimentos, já não são tão apoiadas pelo estado mas que não tem rendimentos suficientes para levar uma vida condigna. Estão por isso pressionadas duplamente. Pressionadas porque tem aspiração a uma qualidade de vida que não conseguem atingir e pressionadas por aquilo que é a falta de apoios do estado, que considera que estas famílias já não necessitam desse apoio e no dia a dia elas sofrem com a dificuldade da falta de recursos. Quando se soma a isto a questão da natalidade, verificamos claramente que no nosso país não há uma política de apoios para que as famílias possam crescer mais e com condições de vida dignas”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados