RCB/TuneIn
Domingo, 18 Nov 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
NÚMEROS NÃO CORRESPONDEM À REALIDADE
Rádio Cova da Beira
João Casteleiro desvaloriza as críticas feitas pelo presidente da secção regional do centro da ordem dos enfermeiros, Ricardo Matos, de que o conselho de administração do centro hospitalar e universitário da Cova da Beira está pouco preocupado com a falta de profissionais em vários serviços. De acordo com a secção regional do centro faltam pelo menos 100 enfermeiros nos vários serviços daquela unidade de saúde.
Por Nuno Miguel em 02 de Nov de 2018

De acordo com João Casteleiro o problema da falta de recursos humanos não é exclusivo do centro hospitalar mas os números apresentados não correspondem à realidade “a mim não me diz muito aquilo que é referido pela ordem dos enfermeiros porque eu tive uma reunião com eles e depois vieram dizer publicamente precisamente o contrário do que tinham dito na reunião com o conselho de administração. Também disseram que nós precisávamos de 100 enfermeiros mas isso deve ser pelas contas deles e não pelas contas da legislação que existe. Se me perguntar se temos dificuldades ao nível dos recursos humanos, todas as instituições do interior as têm mas também sabemos que a maior ou menor disposição dos profissionais leva a que as instituições consigam tratar os seus doentes com qualidade ou não”.  

 

O presidente do conselho de administração do centro hospitalar universitário da Cova da Beira admite que a implementação do regime das 35 horas de trabalho semanal para os enfermeiros veio trazer algumas dificuldades acrescidas que aquela unidade de saúde está a procurar superar “se querem falar naquilo que foi um benefício que o governo deu aos profissionais de enfermagem, que passaram das 40 horas de trabalho semanal para as 35 e ganhando o mesmo vencimento, mas isso em vez de ser entendido como um benefício foi considerado uma desgraça. È verdade que as instituições ressentiram-se com isso mas estar a fazer disso uma calamidade não é honesto”.

 

De acordo com João Casteleiro, depois da implementação do novo horário de trabalho faltam cerca de 30 enfermeiros no centro hospitalar “neste momento faltam cerca de 30 profissionais e temos de ter tempo para colmatar essas necessidades e é isso que nós estamos a fazer. Mas é um processo que tem sido feito a pouco e pouco. Claro que pedimos à tutela para contratar mais profissionais, todos os hospitais pediram. Agora eu não vou é exigir que me dê de imediato o número de profissionais que estão em falta. Podem dizer-me que a situação devia ter sido acautelada e eu concordo com isso. Agora é um benefício que foi dado e que precisa de ser colmatado”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados