RCB/TuneIn
Domingo, 18 Nov 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
PORTUGAL PRECISA DE CRIAR “EMPREGO DE QUALIDADE”
Rádio Cova da Beira
O primeiro-ministro afirmou esta terça-feira que no ano passado houve um aumento do investimento privado no país de nove por cento e adiantou que na reprogramação do Portugal 20 20 há mais cinco mil milhões de euros para investimento.
Por Nuno Miguel em 23 de Oct de 2018
Em deslocação ao concelho de Vila Velha de Ródão, onde presidiu à cerimónia de inauguração da empresa «Roclayer», António Costa afirmou que nos últimos três anos foi possível mudar o paradigma de apoio às empresas, sendo que a reprogramação de verbas do “Portugal 20 20” vai criar novas condições para que as empresas possam investir no interior “há três anos tinham chegado às empresas quatro milhões de euros de incentivos ao investimento. Hoje já chegaram às empresas quatro mil milhões de euros. E na reprogramação, cuja negociação concluímos em Bruxelas, vai permitir que até final deste quadro comunitário possam chegar às empresas mais cinco mil milhões de euros. E nós queremos que as empresas invistam, mas que esse investimento seja feito sobretudo nas regiões do interior porque toda esta região é um enorme potencial que o país tem e que está por aproveitar. Por isso, desses cinco mil milhões de euros há um montante de mil e 700 milhões de euros que só podem ser utilizados para empresas que invistam nos territórios do interior”.   
O primeiro-ministro acrescenta que a criação de emprego de qualidade é determinante para fixar as populações no interior do país. Uma aposta que deve ser intensificada depois de concluída a fase da infraestruturação “agora a grande prioridade é existir uma grande mobilização de todos para o desenvolvimento económico e social do território. A atracção de investimento e a criação de boas condições para as empresas se instalarem e se poderem desenvolver é determinante. Só dessa forma podemos criar emprego e riqueza. No ano passado e este ano, pela primeira vez desde que aderimos ao euro, foram criados 321 mil postos de trabalho e graças a este crescimento económico e do emprego pudemos paulatinamente reduzir o défice e libertar o país desse encargo futuro”.    
A nova unidade da “Roclayer” representou um investimento na ordem dos 25 milhões de euros e vai permitir criar 50 postos de trabalho directos. Simão Rocha, administrador da unidade, refere que este empreendimento tem algumas características inovadoras em todo o país “temos as melhores máquinas do mercado, capazes de fazer um trabalho de grande qualidade e até capacidade de produzir produtos que ainda não foram inventados. Pretendemos reduzir a utilização dos plásticos, utilizar mais papel como barreira de protecção de produtos com máquinas com menor consumo de energia. Temos aqui uma fábrica ecológica e amiga do ambiente. Temos menos oportunismo e maior sentido de oportunidade”.     
Já o presidente da câmara de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira, espera que esta nova unidade possa ter o mesmo sucesso do primeiro investimento concretizado por este empresário no concelho há sensivelmente uma década atrás “passados dez anos da construção da primeira fábrica, ela passou de 135 funcionários para 240 postos de trabalho e é uma das unidades mais inovadoras e eficientes na sua área. É um exemplo de sucesso de que é possível no interior os projectos, quando tem qualidade, conseguem afirmar-se mesmo quando os tempos são adversos. Foi fundamental o investimento público feito no interior que permitiu a concretização destas iniciativas e o desejo da autarquia é que esta nova unidade daqui por dez anos tenha o mesmo sucesso que teve o primeiro investimento”.  
Nesta deslocação à região, António Costa presidiu ainda à cerimónia de formalização da concessão de benefícios fiscais para a instalação da nova fábrica da empresa “Coficab” na plataforma logística da Guarda. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados