RCB/TuneIn
Sexta, 16 Nov 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“CAFÉ MEMÓRIA” NO FUNDÃO
Rádio Cova da Beira
Reduzir o isolamento social em que muitas pessoas com demência se encontram, assim como familiares e cuidadores, de forma a contribuir para a melhoria da qualidade de vida, é o principal objectivo do projecto “Café Memória”, que passou pelo Fundão.
Por Paulo Pinheiro em 15 de Oct de 2018

Fundado em 2013, no ano passado surgiu a iniciativa “Café Memória Faz-se à Estrada”, com o propósito de percorrer mais cidades do país, principalmente as que estão localizadas no interior.

Na semana passada, a actividade de sensibilização chegou ao Fundão, que durante cerca de duas horas, ouviu alertas para a relevância crescente do tema das demências.

As sessões, de carácter gratuito, destinam-se a pessoas com problemas de memória ou demência, aos familiares, amigos e cuidadores.

Ao olhar para as várias actividades realizadas pelo país, a coordenadora do projecto, Catarina Alvarez, afirma que cada vez mais existe a procura de cuidadores profissionais que tentam obter respostas, devido às dificuldades que a doença causa

“As dificuldades são diversas, do ponto de vista financeiro, profissional, das suas relações familiares, podem começar a haver conflitos, porque é difícil lidar com a demência. Podem acontecer também dificuldades sociais, portanto a vida do cuidador é afectada de forma transversal. O cuidador procura, por um lado informação, procura também apoio, e é preciso de facto ajudar os cuidadores a todos os níveis”.

  

Actualmente existem 18 Cafés Memória espalhados pelo país, onde mensalmente é realizada uma sessão. Questionada sobre uma possível criação de um Café Memória no interior do país, devido ao facto de a maioria se localizar no litoral, a responsável afirma que estão a ser estudadas hipóteses

 

“Continuamos a desenvolver esforços para replicar a resposta tradicional noutros pontos de Portugal, e faz todo o sentido replicar esta resposta no interior. Por isso, a minha resposta é afirmativa, não posso dizer onde é que vamos abrir mais Cafés Memória nessa zona do país, tem sido mais difícil criar as condições necessárias, mas estamos a desenvolver esforços nesse sentido, porque há pessoas com demência e cuidadores em todo o Pais”.


Com o “Café Memória Faz-se à Estrada”, a iniciativa do projecto da associação Alzheimer Portugal e da empresa Sonae Sierra pretende chegar a comunidades mais desfavorecidas do ponto de vista social e geográfico, como explica Catarina Alvarez 

“Aquilo que nós pensámos foi, já que não é possível criar Cafés Memória em todos os concelhos do país, então vamos pôr-nos à estrada para poder estar em lugares onde também é necessário estar. E portanto, usamos o conceito de itinerância para vir ter com a comunidade e falarmos sobre a doença de Alzheimer e outras demências, num registo informal, e falarmos sobre prevenção, sinais de alerta, evolução da doença e o que podemos fazer em termos de intervenção”, refere.

Depois do Fundão, Alcobaça, Esposende e Penacova são alguns dos lugares que vão acolher o “Café Memória Faz-se à Estrada”. Guarda recebe a iniciativa no próximo dia 17 de Novembro. Covilhã e Castelo Branco encontram-se em negociações.

 

c/ Beatriz Cavaca 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados