RCB/TuneIn
Quarta, 12 Dez 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CFACB FORMOU 300 PESSOAS NO PRIMEIRO ANO
Rádio Cova da Beira
Desde que abriu portas, há um ano, pelo Centro de Formação Avançada da Cova da Beira (CFACB) passaram 300 formandos que frequentaram 14 cursos. Números que, por si só, já fizeram valer a pena o investimento do município, disse Paulo Fernandes, esta manhã, na cerimónia onde o delegado regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional salientou a redução do desemprego no Fundão no último ano, menos 592 desempregados, fruto da dinâmica empresarial do concelho.
Por Paula Brito em 11 de Oct de 2018
 “Olhando para os concelhos de Belmonte a Castelo Branco, desde Agosto do ano passado até agora há menos 1756 pessoas desempregadas: menos 77 em Belmonte, menos 669 na Covilhã, menos 592 no Fundão e menos 418 em Castelo Branco. Em proporção, o Fundão foi o concelho onde reduziu mais”. Referiu o delegado regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional, António Alberto Costa.

Apesar da diminuição, segundo Paulo Fernandes, os dados mais recentes apontam para uma taxa de desemprego no concelho do Fundão de 6,2%, “cerca de 700 desempregados, uma percentagem muito grande, quase metade destas pessoas, têm mais de 55 anos, o que nos traz aqui um desafio porque há aqui uma componente social que pode ser relevante num centro como este, num território como este.”

Mas este não é o único de desafio do Centro para o futuro. A instalação, no edifício da antiga Cartel, de uma empresa de confecções com um centro de investigação associado e capacidade para criar 200 empregos. Um investimento que, segundo o autarca, “está estabilizado, vai avançar e é uma excelente notícia para este complexo, vamos ficar aqui entre duas das mais importantes indústrias que temos: a metalomecânica e aquele que sempre foi o porta-aviões industrial da região em termos de indústria, que é o sector das confecções, fiação e toda a fileira associada a esta área, e o centro fica aqui no meio, o que significa que vamos ter que investir.”

Um investimento que o Instituto de Emprego e Formação Profissional está disposto a acompanhar “o IEFP está disponível para reforçar aquilo que necessita ser reforçado, ou ao nível de equipamentos ou de ouras estruturas que sejam consideradas essenciais para a formação.”

O Centro de formação avançada da Cova da Beira abriu portas, em Julho do ano passado, no antigo edifício da empresa ERES depois de obras de requalificação e adaptação do edifício. Neste primeiro formou 298 pessoas em 14 cursos de áreas como geriatria, técnicos de maquinação e programação, de apoio familiar e comunitário, confecção industrial e tecidos, operadores agrícolas de máquinas e ferramentas e, o único em horário pós laboral, na área de gestão de produção para a indústria metalúrgica e da metalomecânica.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados