RCB/TuneIn
Quarta, 24 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
CTT: PARTIDOS CONTESTAM ENCERRAMENTOS
Rádio Cova da Beira
A comiss√£o coordenadora distrital de Castelo Branco do Bloco de Esquerda, a direc√ß√£o da organiza√ß√£o regional do PCP e os deputados do PS eleitos pelo distrito na assembleia da rep√ļblica vem, em comunicado, criticar a decis√£o da administra√ß√£o da empresa em avan√ßar com o encerramento dos balc√Ķes de Belmonte e de Vila Velha de R√≥d√£o.
Por Nuno Miguel em 02 de Oct de 2018

Os dois eleitos socialistas já enviaram uma perguntara ao governo se tem conhecimento do encerramento das estações dos CTT nos concelhos de Vila Velha de Ródão e de Belmonte, e quais os critérios que foram aplicados. “não vislumbramos qualquer critério racional na decisão de encerramento destas duas estações, localizadas nas sedes de concelho, que não atende de modo nenhum aos objectivos de desenvolvimento local e regional”.

 

Hortense Martins e João Marques acrescentam que nos casos das estações de Belmonte e Vila Velha de Ródão as populações são confrontadas “com a vontade de encerramento, por parte da administração dos CTT que, julgamos, não tomou em consideração as necessidades especiais das pessoas da região, com dificuldades de transportes públicos e carências”. Os eleitos socialistas sustentam que “o encerramento de lojas no interior do país não se coaduna com as políticas que o governo pretende implementar para a região do interior” e pretende saber de que forma o executivo “está disponível para apoiar os autarcas de Vila Velha de Ródão e de Belmonte na procura de novas soluções que respondam, de forma cabal, às necessidades das populações”. 

 

Também em comunicado, a direcção da organização regional de Castelo Branco do PCP sublinha que “a degradação da prestação de serviços dos CTT não pode ser desligada da política de sucessivos governos. Os novos donos, grandes grupos económicos estrangeiros, querem retirar lucros rápidos e aproveitar a rede dos CTT para implantar um banco, algo que sempre que sempre foi adiado quando a empresa era pública”.

 

 

 

 

 

De acordo com o PCP o processo de privatização causou “uma degradação do serviço postal e destruição do seu carácter universal, encerraram postos o que dificultou o acesso dos cidadãos aos serviços” considerando que “os correios são um serviço público fundamental às populações, à economia nacional, ao desenvolvimento regional e à coesão territorial”.

 

Neste comunicado, a DORCB do PCP sublinha que “o governo não pode continuar a assistir a esta degradação e dos CTT sem nada fazer” e considera “imperioso e urgente readquirir a capacidade e responsabilidade pela sua gestão”.

 

Já para o Bloco de Esquerda esta decisão, a confirmar-se “ é mais uma pedrada no charco, na tão aclamada mas pouco realizada defesa do interior e das suas populações. Quando se apregoa que queremos dar os mesmo direitos e benefícios, se possível até haver uma discriminação positiva, às gentes do interior do país, e depois se acabam com serviços públicos, é mostrar vontade de dar com uma mão, mas retirar com duas”.

 

A distrital do BE acrescenta ainda que “os valores a mais dos dividendos de 2017, que foram alarvemente distribuídos pelos accionistas, dariam para manter os balcões de Belmonte, Vila Velha de Ródão e tantos outros. Acabe-se com a privatização dos CTT e entenda-se de uma vez por todas que há empresas cujo sentido de existência, não é só por si apresentar lucro mas um muito mais nobre que é servir as pessoas. E os CTT não estão, mas deveriam estar nesta categoria”. 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados