RCB/TuneIn
Domingo, 22 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“DETECTÁMOS VÁRIOS PROBLEMAS”
Rádio Cova da Beira
A delegação regional do centro do sindicato da indústria da restauração e hotelaria denuncia a existência de várias irregularidades cometidas pelas entidades patronais para com os trabalhadores deste sector.
Por Nuno Miguel em 28 de Aug de 2018

Outras da categoria:

A estrutura sindical realizou ontem um périplo por vários estabelecimentos de restauração e unidades hoteleiras na Guarda e na Covilhã tendo detectado várias situações de incumprimento como precariedade, vencimentos abaixo do salário mínimo nacional e a ausência de registos de entradas, nomeadamente nas áreas de restauração das grandes superfícies comerciais “denotámos que há um sintoma muito claro de não registar as horas de entrada e saída. Os trabalhadores do sector da restauração sabem a que horas entram mas não sabem quando saem e como esse registo não é feito não há direito ao pagamento de trabalho extraordinário. Também notámos, sobretudo nesta altura, que há um recurso grande ao trabalho de jovens que estão em situação de férias escolares que aproveitam este período para ganhar algum dinheiro para organizar a sua vida e nós temos dúvidas que todos eles estejam com contratos de trabalho legais, com descontos assegurados e tudo isso configura uma grande situação de precariedade”.
António Baião, dirigente da delegação do centro do sindicato dos trabalhadores da hotelaria e restauração acrescenta que em relação às unidades hoteleiras, a estrutura sindical mostra-se preocupada com o elevado número de estagiários que desempenham funções nos hotéis e que deviam corresponder a postos de trabalho permanentes assim como no que respeita ao cumprimento dos períodos de descanso “todos os trabalhadores da hotelaria em Portugal com a contratação colectiva que está aplicada tem direito a dois dias de descanso semanal mas a maior parte dos hotéis da região centro só está a dar um dia e meio que era o que existia no anterior contrato. Depois também denotamos que os quadros de pessoal foram sendo reduzidos e há muito recurso aos estagiários. São postos de trabalho que deviam ser permanentes mas que são ocupados por jovens que vem das escolas de hotelaria”. 
Em conferência de imprensa, o sindicato lançou ainda um apelo à autoridade para as condições de trabalho no sentido de reforçar as acções inspectivas e de ter uma mão mais pesada para os prevaricadores “temos uma grande impunidade dos patrões porque a autoridade para as condições de trabalho, que devia ter mais força no sentido de punir as entidades patronais que não cumprem, mas acaba por ter um papel quase de regulador. Quando nós denunciamos algumas situações eles vão ter com os patrões mas não os pune. É um caso em que prevaricar compensa os patrões do sector da restauração e da hotelaria”. 
Depois do périplo pela Guarda e pela Covilhã, o sindicato terminou hoje este conjunto de visitas com uma passagem por estabelecimentos de restauração e hotelaria na cidade de Castelo Branco. Nestas acções a estrutura sindical procurou também alertar os trabalhadores para a implementação da nova tabela salarial, que deve ser publicada em breve no boletim do emprego, e que vai ter efeitos retroactivos em relação ao passado mês de Janeiro.  

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados