RCB/TuneIn
Sexta, 15 Jan 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
FEIRA “TEM QUE SOFRER UMA PROFUNDA REVOLUÇÃO”
Rádio Cova da Beira
O presidente da câmara da Covilhã admite que é necessário dar uma nova dinâmica a toda parte comercial e de expositores na feira de São Tiago. A edição 607 do certame encerrou portas na passada quarta-feira.
Por Nuno Miguel em 27 de Jul de 2018
Em declarações à RCB, Vítor Pereira refere que o balanço final vai ser feito durante as próximas semanas mas não esconde a vontade de apresentar uma feira diferente aos covilhanenses já no próximo ano “é uma vontade que tenho há muito tempo de em termos de expositores, de comércio, de arte e cultura alterar significativamente a feira. Ela tem de sofrer uma profunda revolução. É uma feira que pela sua antiguidade, pelo nosso potencial endógeno, por sermos um pólo de atracção regional a todos os níveis, devemos pensar toda a filosofia que está subjacente a esta feira”.     
No âmbito desse trabalho, o autarca admite pedir a colaboração da universidade da Beira Interior no sentido de identificar quais as áreas que podem ser melhoradas. A criação no município de uma equipa que se dedique apenas à organização da feira é outra hipótese que também está em cima da mesa “é uma ideia que não devemos enjeitar e até fazer uma análise mais profunda sobre o rumo que esta feira deve ter. Até pedir à universidade da Beira Interior para nos dar ideias sobre a forma como ela pode ser melhorada porque na UBI há muita criatividade e empreendedorismo e a feira pode beneficar do conhecimento que aqui é gerado para a podermos melhorar”. 
Questionado sobre as críticas motivadas pelo facto de o certame ter tido este ano alguns dias com entradas pagas, Vítor Pereira refere que o executivo saberá retirar as ilacções dessa situação quando for apurado o valor total das receitas “é normal que exista essa contestação. Quando as pessoas estão habituadas a não pagar e isso no passado aconteceu muito pontualmente é natural que algumas pessoas contestem. Mas temos que pensar que as coisas custam dinheiro. Vamos fazer o balanço para podermos avaliar o impacto das receitas provenientes desta feira e vamos retirar dai as devidas ilacções”.  
Já em relação ao espaço, Vítor Pereira sublinha que não há necessidade de equacionar um outro local para a sua realização, uma vez que o complexo desportivo reúne todas as condições para continuar a albergar a feira de São Tiago.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados