RCB/TuneIn
Domingo, 24 Jun 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“O QUE É QUE JÁ FOI FEITO ?”
Rádio Cova da Beira
Nuno Reis acusa a câmara municipal da Covilhã de ter instrumentalizado as actividades desenvolvidas pela associação “Instinto” para fazer campanha eleitoral. A afirmação feita pelo vereador do CDS/PP no final da última reunião privada do executivo em que foi aprovada a suspensão dos trabalhos de construção do centro de recolha e acolhimento animal.
Por Nuno Miguel em 13 de Jun de 2018
Nuno Reis recorda que o projecto foi um dos vencedores da primeira edição do orçamento participativo promovido pelo município, com uma dotação orçamental de 60 mil euros, mas que até agora não passou do papel “instrumentalizou-se uma associação para fazer campanha. Ponto. Fez-se um protocolo, foi assinado no salão nobre, a comunicação social esteve cá, assistiu à assinatura, as pessoas que gostam da «Instinto» ficaram a adorar a câmara da Covilhã mas a actualidade desse protocolo não é nenhuma. O dinheiro do orçamento participativo de 2016 ainda não foi recebido, o que significa que alguma coisa se está a passar. Alguém está a mentir e é preciso clarificar isto”.   
Na resposta, o presidente da câmara da Covilhã garante que se trata apenas de uma suspensão temporária e que nada tem a ver com falta de financiamento para a execução de obra. De acordo com Vítor Pereira “os serviços da câmara e os responsáveis da «Instinto» escolheram um sítio que é contíguo ao complexo desportivo. Posteriormente constatou-se que há casas nas imediações desse espaço e também relativamente perto de uma escola. A obra está contratualizada, o apoio mantém-se, o projecto é para avançar mas vai ter que mudar de sítio. Esta suspensão é, como o próprio nome indica, uma suspensão temporária por dois ou três meses até que seja definida uma nova localização que já está a ser analisada”.  
O autarca covilhanense refere que a nova localização está a ser estudada, mas tudo aponta para que o centro seja construído junto ao parque industrial do Tortosendo. Vítor Pereira acredita que vão estar reunidas todas as condições para que em Setembro o projecto possa avançar.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados