RCB/TuneIn
Terテァa, 23 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CERFUNDテグ FORA DA FESTA DA CEREJA
Rádio Cova da Beira
O presidente do conselho de administraテァテ」o da Cerfundテ」o lamenta que a maior organizaテァテ」o de produtores de cereja nunca tenha sido convidada a participar na festa da cereja, que acontece este fim de semana em Alcongosta.
Por Paula Brito & Paulo Pinheiro Pinheiro em 07 de Jun de 2018

Questionado sobre a ausência da Cerfundão do certame, José Pinto Castello Branco remete a pergunta à organização, mas entende que a festa devia ser da cereja do Fundão e não apenas de Alcongosta.

“Eu tenho alguma pena, mas enfim, ainda não se proporcionou. A questão vai sendo colocada mas é como aquela expressão que se utiliza do elefante na sala, mas não depende de nós. Agora, é verdade que, por um lado estamos a celebrar a cereja do Fundão, mas, por outro lado, a festa continua a ser a festa de Alcongosta.” José Pinto Castello Branco recorda que a Cerfundão nunca deixou de responder a nenhum desafio e que ainda no fim de semana passado participou na feira da cereja no Ferro.

A ausência da CerFundão, da Festa da Cereja, em Alcongosta, nunca foi questionada por ninguém, disse à RCB o presidente da junta de freguesia.

Em entrevista ao programa RCB “Flagrante Directo”, Vítor Félix rejeita a ideia de que exista qualquer animosidade com a CerFundão, até porque a junta integra o capital social da organização.

Para o autarca, a presença da CerFundão na festa tem os dois lados da moeda.

“Por um lado faz sentido porque, sendo a maior cooperativa de cereja da zona devia estar presente, por outro iria fazer uma concorrência directa aos produtores, agora por mim não há problema nenhum em falarmos e acertarmos pormenores, ver as condições, se há ou não interesse, não há nenhuma guerra, nem nunca me questionei sobre isto, para nós faz sentido”.

Alargar a festa é preciso, defende o presidente da junta de Alcongosta que deverá acontecer quando a Casa da Cereja, na antiga escola primária, estiver a funcionar.

“Nós temos que alargar mais a festa, dar-lhe um novo modelo sem esquecer o actual. Por exemplo quando a casa da cereja estiver a funcionar não faz sentido ficar distante da festa, teremos que ligá-la à festa da cereja.”

Para este ano, as expectativas são boas. Só para o próximo domingo são esperados 150 autocarros, ou seja, cerca de oito mil pessoas.

“Esta é talvez a festa que mais atrai pessoas de fora à região, que mais valor deixam na região, não tenho dúvidas pelo número de excursões que vêm todos os anos à festa, por exemplo, nós temos a confirmação, só para domingo, de 150 autocarros.”


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados