RCB/TuneIn
Quinta, 16 Ago 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
COMPROMISSO ASSUMIDO
Rádio Cova da Beira
A c√Ęmara municipal da Covilh√£ vai eleger os princ√≠pios da Agenda XXI para o ambiente como uma das principais bandeiras a hastear durante este mandato. O compromisso foi assumido pelo vereador com o pelouro no decorrer do f√≥rum ambiental, organizado pelo munic√≠pio em parceria com a associa√ß√£o ‚ÄúCoolabora‚ÄĚ e com os guardi√Ķes da Serra da Estrela para assinalar o dia do ambiente.
Por Nuno Miguel em 07 de Jun de 2018

Outras da categoria:

José Armando Serra dos Reis sublinha que “até hoje poucos municípios assumiram de corpo inteiro a chamada agenda XXI para o ambiente e nós é um compromisso que hoje aqui assumimos. Iremos estudar essa agenda e vamos elegê-la como uma prioridade e tanto quanto possível envolver as instituições, seja a nível local seja a nível central como são os casos da APA e do ICNF. São organismos fundamentais ao nível da preservação e da protecção do ambiente e vamos agora preparar-nos para poder concretizar esse grande objectivo”.  
Questões como a adaptação às alterações climáticas, reflorestação dos territórios, gestão da paisagem e das zonas protegidas e a educação ambiental foram algumas das temáticas abordadas neste encontro. Mas também a sustentabilidade ao nível da alimentação merece a preocupação do autarca “ou de uma vez por todas invertemos o paradigma e passamos a instituir as cadeias curtas de mercado e a renovação dos mercados de produtos locais ou então estamos perdidos uma vez que a preocupação das grandes superfícies não diz respeito à qualidade mas sim à quantidade e ao lucro”.
Ao longo de todo o dia foram identificados vários problemas a nível local, como a limpeza dos cursos de água, tratamento dos espaços verdes, utilização de pesticidas e o desordenamento da floresta, como refere Graça Rojão, responsável da associação coolabora “houve muitas questões à volta da floresta e do consumo crítico e qual é o impacto das nossas acções de consumo, seja dos copos de plástico ou das capas e isso leva-nos à questão de saber o que é que cada pessoa pode mudar. É muito simples e pensar que quem deve mudar são os outros, mandamos uns recados para a câmara e para as juntas de freguesia e nós demitimo-nos daquilo que pode ser o nosso próprio papel”. 
Na resposta, José Armando Serra dos Reis assumiu o compromisso de organizar uma segunda edição deste fórum no próximo mês de Setembro com o objectivo de definir estratégias de resposta aos problemas que foram apresentados “no dia 15 de Setembro vamos voltar a encontrar-nos aqui e esperamos que mais alguns possam juntar-se a esta causa para reflectir sobre a centena de problemas que aqui foi apresentada. Evidentemente que não os resolvermos a todos de uma só vez mas se começarmos a resolver alguns estamos já a dar bons passos nesse sentido”. 
Mas para que os problemas identificados possam ter resposta, é necessário também um maior envolvimento das populações. Uma ideia deixada por Tânia Araújo, representante dos guardiões da Serra da Estrela “já não temos muito tempo para fazer a mudança e por isso é muito importante agir para podermos salvar o nosso património natural e o espaço onde vivemos e que queremos deixar para os nossos filhos. Mas para isso é muito importante também despertar a consciência de outras pessoas que ainda não estão sensibilizadas para o tema e queremos chegar a elas porque a mudança tem de ser feita com todos”. 
Um fórum que decorreu na biblioteca da Covilhã sob o mote “agir no local e pensar o global” e em que marcaram presença mais de uma dezena de entidades ligadas à preservação do meio ambiente. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados