RCB/TuneIn
Domingo, 21 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
"JÁ CHEGAVA DE DESGRAÇAS”
Rádio Cova da Beira
Em Oleiros, as trovoadas e a queda de granizo do último fim de semana tornaram intransitáveis as estradas que já tinham sido destruídas pelos incêndios do último Verão. Os novos prejuízos ainda não estão calculados, mas segundo o presidente da autarquia, Fernando Jorge, vão aumentar significativamente os oito milhões de euros já calculados, na altura dos incêndios.
Por Paula Brito em 01 de Jun de 2018

Outras da categoria:

 

“Para além dos incêndios que destruíram as estradas, no último fim-de-semana tivemos trovoada de pedra que acabou por tornar intransitáveis uma quantidade de estradas, vamos agora fazer uma reavaliação. Nós tínhamos calculado os prejuízos em 8 milhões de euros, quando foi dos incêndios, e seriam financiados em apenas 15%, o resto teríamos que imaginar como é que iriamos resolver o problema, agora estas águas vieram agravar o problema e os prejuízos são avultadíssimos.”

Mas os prejuízos provocados pela queda de granizo chegaram também à agricultura.

“As trovoadas levaram tudo o que as pessoas tinham semeado, as batatas, as cenouras, as couves, não têm nada, desgraça em cima de desgração, já chegava.”

Entretanto, esta semana foram entregues as primeiras três casas às famílias que viram as suas habitações completamente destruídas. Duas recuperadas pela Federação Portuguesa de Futebol e uma empresa privada, a DDN com sede em Lisboa. São as primeiras três casas de 18 que ficaram completamente destruídas no passado mês de Outubro no concelho de Oleiros onde 80 casas foram atingidas pelas chamas.

“Algumas foram reabilitadas por entidades privadas, outras por instituições de solidariedade ou instituições de utilidade pública, como é o caso da Federação Portuguesa de Futebol, daquelas que são da responsabilidade do Estado, esperamos que dentro de dias nos entreguem os projectos para pormos a concurso porque ainda não foi feito nada, absolutamente nada, também ainda só passaram oito meses e isto é um governo que trabalha ao ralenti”.

Fernando Jorge, presidente da câmara de Oleiros diz que já chegava de desgraças no seu concelho.  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados