RCB/TuneIn
Terça, 23 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
REGRESSAR AO CAMPEONATO DA EUROPA
Rádio Cova da Beira
Colocar a rampa da Serra da Estrela no campeonato da europa de montanha em automobilismo em 2020. É este o objectivo de uma candidatura que a câmara da Covilhã e o clube automóvel do Minho vão apresentar em 2019 à federação internacional de automobilismo. O anúncio foi feito em conferência de imprensa em que foi apresentada a sexta edição desta iniciativa.
Por Nuno Miguel em 25 de May de 2018
Este ano a prova vai ter um percurso com mais 300 metros, para perfazer cinco quilómetros exactos, novos acessos para o público e vai ser transmitida através de «live streaming». Vítor Pereira, presidente da câmara da Covilhã, sublinha que também já foram efectuados contactos com as infraestruturas de Portugal para que possa ser realizada a requalificação deste troço, que é vital para que a candidatura possa ser aprovada “fiz-lhes ver que independentemente da problemática da prova, a verdade é que o piso já não está nas melhores condições e tem de existir ali uma intervenção ao nível da requalificação do piso e também de colocação de alguns rails de protecção. É um trabalho que tem de ser feito, independentemente da realização da prova. Claro que seria juntar o útil ao agradável requalificar o piso e proporcionar as condições que são exigidas pela federação internacional de automobilismo para que a nossa prova possa ser integrada no calendário do campeonato europeu”.
Na edição deste ano, a terceira prova do campeonato nacional de montanha vão marcar presença cerca de 40 pilotos em viaturas convencionais, desportivas e também alguns protótipos. Nuno Loureiro, responsável do clube automóvel do Minho, sublinha que as características do traçado são as ideais para a realização deste tipo de provas mas sem a requalificação do piso a Covilhã não pode concretizar a justa aspiração de voltar a integrar o campeonato da Europa “é uma ambição que é legítima, não só pelo traçado mas por todo o historial que a rampa da Serra da Estrela tem no panorama automobilístico internacional que é muito forte e isso ainda hoje é reconhecido pelos pilotos. De qualquer forma o principal que nós precisamos é requalificar o traçado que existe, porque as curvas estão cá, a estrada está cá, foi desenhada e isso é que faz com que o traçado seja magnífico. Agora é preciso requalifica-lo”.
Para além da vertente desportiva, Nuno Loureiro sublinha que esta prova pode trazer também um grande impacto ao turismo e à economia do concelho. Por isso as alterações introduzidas este ano ao percurso tem já como objectivo colocar a competição de acordo com os parâmetros definidos pela federação internacional de automobilismo “eu julgo que o passo de este ano já aumentarmos a rampa em 300 metros é um passo muito importante e já implementamos as regras da quilometragem mínima para o campeonato da europa e não podemos esquecer que existem neste percurso duas unidades hoteleiras. Isso é um factor importantíssimo que com toda a certeza vai ser avaliado nessa candidatura. A nível turístico a Covilhã no inverno está vendida pela neve e eu julgo que tem também um potencial enorme no verão. E este tipo de eventos é fundamental para potenciar também o turismo uma vez que na parte desportiva, como já tive oportunidade de dizer, temos aqui um traçado com características únicas”.
Paulo Ramalho, responsável da associação de pilotos, destaca que o traçado da Serra da Estrela tem características únicas, sendo uma prova que desperta sempre grande interesse por parte do público e dos pilotos “tem partes rápidas, tem outras partes lentas que são espectaculares para o público e que fascinam os pilotos. Afinar um carro para estar preparado para um percurso com estas características é um desafio enorme e por isso este é um traçado muito aliciante”. 
A prova deste ano tem um orçamento de 35 mil euros, 27 mil dos quais suportados pela câmara da Covilhã.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados