RCB/TuneIn
Sexta, 22 Jun 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
124 MIL EUROS DE INVESTIMENTO
Rádio Cova da Beira
O museu de lanif√≠cios da universidade da Beira Interior acaba de ver aprovada uma candidatura a fundos comunit√°rios direccionada para a preserva√ß√£o dos arquivos da UBI. O an√ļncio feito em entrevista √† RCB pelo director daquele organismo.
Por Nuno Miguel em 24 de May de 2018

Outras da categoria:

De acordo com António Santos Pereira o grande objectivo passa por conservar e catalogar o património da instituição desde a sua criação “nós temos neste momento uma grande preocupação a propósito dos arquivos. Tivemos agora uma candidatura aprovada ao «Portugal 20 20» e a nossa prioridade máxima é de organizar o arquivo da própria universidade da Beira Interior. É necessário organizar e preservar toda essa documentação para além de continuar o trabalho que está a ser feito ao nível do arquivo do museu e dos espólios que lá são depositados”.  
António Santos Pereira acrescenta que, para além deste trabalho, o museu vai ainda procurar apresentar uma outra candidatura a fundos comunitários no sentido de reforçar o número de quadros técnicos. É que o número de solicitações para depósito de arquivos tem vindo a aumentar “estamos a equacionar avançar com uma outra candidatura uma vez que sabemos que o número de técnicos superiores do museu é reduzido e os dirigentes, como eu, somos professores e investigadores a tempo inteiro e obviamente que isso é uma dificuldade grande. Quem é investigador sabe bem que estas questões levam bastante tempo e precisamos de gente para o tratamento de toda a informação que existe” 
Um desses casos é o arquivo da antiga delegação da Covilhã do instituto nacional do trabalho e da previdência, actual ACT, e o director do museu de lanifícios não esconde que a entrega desse espólio pode ser uma mais valia para a instituição “obviamente que sim uma vez que esses arquivos permitiram lançar uma luz definitiva sobre toda a dinâmica social da Covilhã entre as décadas de 30 e 50 do século passado. Estamos de braços abertos para poder receber esse depósito, mas é preciso entender que também algumas antigas fábricas já manifestaram também esse interesse. Por isso terá de ser feita uma selecção muito criteriosa e de acordo com a lei, uma vez que não vai lá caber tudo, mas tenho a certeza que tudo isso vai ser bem feito pelos nossos técnicos”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados