RCB/TuneIn
Domingo, 20 Mai 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
CAMINHEIROS DA GARDUNHA DESCOBREM ALTAR ROMANO
Rádio Cova da Beira
A quarta edição da iniciativa “Gardunha sem Lixo”, que decorreu no passado fim-de-semana, ficou marcada pela descoberta de um altar romano.
Por Paulo Pinheiro em 16 de May de 2018

O altar consiste num pequeno bloco granítico bem trabalhado, com cerca de 20 cm de altura, com uma inscrição gravada numa das suas faces. De acordo com os Caminheiro da Gardunha, colectividade que promove a acção, trata-se do achado do género encontrado à maior altitude na Serra da Gardunha até à data.

A peça encontra-se já à guarda do Museu Arqueológico do Fundão, a cujos técnicos cabe agora a responsabilidade de estudar a peça e determinar o significado do texto da inscrição, aparentemente incompleto, assim como do contexto deste achado.

A análise preliminar conclui que a epígrafe faz referência a uma habitante local, com nome indígena, o que denota uma clara integração da população local na cultura romana. 

 

“Além de confirmar a origem romana da via entre Alcongosta e Alpedrinha, esta descoberta é também um contributo importante para a construção do mapa do povoamento do concelho do Fundão há cerca de 2.000 anos, numa altura em que toda a Serra da Gardunha e território envolvente estavam integrados na província romana da Lusitânia”, refere a direcção dos Caminheiros.

 

 

Em relação à actividade, visa mobilizar voluntários para limpar o lixo existente em diferentes pontos da Serra da Gardunha junto a percursos pedestres, procurando ao mesmo tempo sensibilizar e apelar ao civismo dos cidadãos, assim como chamar a atenção das entidades competentes para o problema das descargas ilegais de resíduos.

Este ano, a iniciativa contou com mais de 20 voluntários e teve o apoio da Junta de Freguesia de Alcongosta e da Resiestrela. A quarta edição foi um pouco mais abrangente já que, para além da componente de valorização ambiental, teve também a preocupação em agir num contexto de valorização do património cultural.

 

O local escolhido foi a envolvente de uma parte da calçada romana entre Alcongosta e Alpedrinha e, para além da remoção do lixo, foi feita a limpeza de uma secção desta calçada que, até ao incêndio de Agosto último, estava escondida pela vegetação.

 

De igual forma, procedeu-se à limpeza de uma antiga lagareta escavada na rocha ali existente, sendo que estes trabalhos tiveram o necessário acompanhamento de um técnico do Museu Arqueológico do Fundão.

 

Por último, foram novamente pintadas as marcações da Rota de Alpreade que tinham sido fortemente danificadas pelo incêndio, de forma a permitir novamente a fácil utilização desta rota pedestre.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados