RCB/TuneIn
Terça, 22 Mai 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
TEIXOSO: OPOSIÇÃO ABSTEVE-SE NA VOTAÇÃO DE CONTAS
Rádio Cova da Beira
A união de freguesias do Teixoso e do Sarzedo fechou o ano passado com um saldo corrente positivo de cinco mil euros. Os números fazem parte do relatório de gestão que foi aprovado por maioria na última reunião da assembleia de freguesia e que apontam para uma taxa de execução de 90 por cento ao nível da receita e da despesa.
Por Nuno Miguel em 08 de May de 2018
A eleita do movimento independente “O Teixo” absteve-se na votação dos documentos. Dídia Fonseca mostra alguma apreensão em relação a alguns indicadores “consideramos que o peso da massa salarial terá condicionado a execução orçamental. É também evidente que os objectivos do mandato anterior no que respeita do investimento público esteve assente em obras de cariz eleitoralista mas que, na nossa óptica, pouco acrescentaram ao desenvolvimento e ao aumento da qualidade de vida nesta união de freguesias”.
Depois de a situação financeira da autarquia ter sido um dos temas que gerou acesa discussão na reunião do órgão que decorreu em Dezembro do ano passado, o eleito do CDS/PP, Paulo Silvino, deixou uma questão ao presidente da união de freguesias “aquilo que eu me apercebi é que o montante de despesas a pagar ficou em cerca de 28 mil euros mas as receitas a cobrar rondavam os 31 mil euros, ficando um saldo de disponibilidade próximo dos 40 mil euros. Por isso a questão que eu deixo ao executivo é muito simples; quando vocês pegaram na junta, ela estava falida? Não me parece”.
Na resposta, José Alberto Pais sublinhou que “o executivo anterior deixou-nos dívidas para pagar na ordem dos 29 mil euros e deixou-nos um saldo de 38 mil euros. Aparentemente há aqui uma diferença de nove mil euros mas importa sublinham que nós tomámos posse no dia 15 de Outubro e logo nessa semana tivemos de pagar 15 mil euros de ordenados. Para além disso, dois dias antes da tomada de posse o executivo anterior recebeu as verbas do FEF, no valor de 20 mil euros, que não podia utilizar porque já estava em período de gestão corrente mas acabou por utilizar esse dinheiro”.
Os documentos acabaram por merecer o voto favorável dos quatro eleitos do PS e a abstenção das bancadas do “MIT”, CDS/PP e “Teixoso em Mudança”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados