RCB/TuneIn
Domingo, 21 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
ACORDO RATIFICADO
Rádio Cova da Beira
A c√Ęmara municipal da Covilh√£ ratificou por maioria o protocolo recentemente assinado entre a autarquia e a empresa ‚ÄúMepisurfaces‚ÄĚ para o desenvolvimento de um novo projecto empresarial no parque industrial do Tortosendo.
Por Nuno Miguel em 06 de May de 2018
A proposta esteve em cima da mesa na última reunião privada do executivo mas mereceu a abstenção do vereador do CDS/PP. Uma posição que Nuno Reis justifica com a existência de uma cláusula de confidencialidade neste acordo “o CDS estranha a existência desta cláusula de confidencialidade relativamente às condições para a instalação desta empresa. Nesse sentido eu abstive-me, não porque não considere importante o apoio à fixação de empresas e a criação de novos postos de trabalho mas porque uma das condições que a empresa coloca, e que eu não posso divulgar, não foi tida em conta neste acordo de boa vontade por parte do município. Nesse sentido expressei aqui a minha preocupação no sentido de saber se ia ou não ser cumprida e já no anterior mandato assistimos a situações de empresas que tornaram pública a existência de promessas por parte do município e que depois não se concretizaram”.
Uma posição desvalorizada pelo vereador com o pelouro da administração geral e finanças na autarquia covilhanense. José Miguel Oliveira refere que a introdução dessa cláusula se deve ao facto de se estar perante um acordo de intenções e quando os benefícios estiverem definidos vão ser dados a conhecer aos órgãos executivo e deliberativo. O autarca acrescenta que esta foi a forma encontrada no sentido de conseguir atrair mais investidores para aquele concelho “nós sabemos que a Covilhã, devido à política que foi seguida no passado de desenvolvimento dos parques industriais, não tem terrenos que possa disponibilizar aos investidores ao contrário do que acontece com outros municípios à nossa volta. No entanto temos outras formas de competir, que passam por isenções de impostos ou por uma maior agilidade ao nível dos processos de licenciamento que são questões que estão ao alcance do executivo para poder aliciar os investidores a fixaram-se no nosso concelho. Essa cláusula de confidencialidade foi exigida pela empresa mas, uma vez que esses benefícios tem de ser aprovados pelos órgãos executivo e deliberativo, e assim que houver decisões em relação a essa matéria elas vão ser conhecidas pelo público”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados