RCB/TuneIn
Quinta, 22 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“ESTAMOS A RECUPERAR O ESPÍRITO DE CABRAL”
Rádio Cova da Beira
A afirmação feita pelo presidente da autarquia na sessão solene comemorativa do dia do concelho onde António Dias Rocha sublinhou que o principal foco do executivo tem de continuar a ser a criação de condições para que mais empresas se fixem naquele concelho e que criem novos postos de trabalho, para permitir que mais pessoas se fixem naquele concelho.
Por Nuno Miguel em 27 de Apr de 2018
“Estamos empenhados em retomar o espírito de Cabral. Saber ousar o desconhecido, conquistar o impossível e abrir novas estratégias. Estamos a colher frutos. Não podemos ficar fechados sobre nós mesmos. Foi isso que nos diminuiu durante anos, que levou ao encerramento de empresas e ao abandono dos mais jovens. O nosso foco tem de ser inverter o ciclo de desertificação que tem assolado toda a região. Queremos que muitos dos nossos regressem e que outros nos escolham para viver. Estamos a criar condições para que aqui se fixem novos empresários e estamos de portas abertas para que nos desafiem”.   
A cerimónia do dia do concelho foi presidida pelo secretário de estado da energia que deixou um forte apelo ao trabalho diário e conjunto de governo, autarquias, empresas e cidadãos para travar o ciclo de desertificação do interior. Jorge Seguro sublinha que “não vale a pena pensar que vai haver uma lei nem uma solução milagrosa para resolver os problemas do interior e do desequilíbrio demográfico de um país em que mais de 80 por cento da população vive entre Braga e Setúbal. É com o trabalho de todos os dias dos autarcas, do governo, das empresas e dos cidadãos que é possível inverter essa questão”.
É precisamente a área da energia um dos sectores que mais pode contribuir para o desenvolvimento da região. No mês passado Portugal já produziu mais electricidade, com recurso a alternativas limpas, do que aquela que foi consumida sendo que a maior parte da produção é feita nos territórios do interior “em Março, Portugal conseguiu produzir mais electricidade do que aquilo que é o nosso consumo. Isto faz toda a diferença. E o distrito de Castelo Branco já faz isso em quase todos os meses do ano uma vez que a maior parte de produção desta energia é feita no interior do país. E hoje a energia renovável já não precisa de ser subsidiada, as novas autorizações já não contemplam isso e já há projectos apresentados sem essa vertente. É algo que está a acontecer pela primeira vez nos países da Europa”. 
Com uma produção superior ao consumo, Jorge Seguro acrescenta que o governo pretende continuar a dar passos sólidos no sentido de diminuir a factura da electricidade para os cidadãos e empresas “o melhor que tinha existido até este ano foi um aumento de 4,6 por cento e este ano tivemos uma diminuição de 4,4 por cento. O nosso objectivo é continuar a baixar. Quem fixa os preços em Portugal é a entidade reguladora mas o governo cria as condições para que isso aconteça e aquilo que pretendemos é que eles continuem a decair e que estejam cada vez mais próximos daquilo que são os preços praticados noutros países. Isso vai permitir que os cidadãos e as empresas tenham energia renovável e com preços mais competitivos para o bem estar das famílias e para a competitividade das empresas”. 
Contrariamente ao que estava previsto, o ministro da cultura não marcou presença nesta cerimónia, tendo por isso sido adiada a inauguração oficial dos trabalhos de requalificação do museu judaico. O dia ficou ainda marcado pela entrega de uma nova ambulância do INEM aos bombeiros voluntários daquela vila, suprindo uma lacuna que há muito estava identificada, afirma o presidente da autarquia “a nossa viatura já estava ultrapassada e em boa hora o município de Belmonte foi um dos contemplados neste projecto do INEM que pretendeu rejuvenescer a sua frota de viaturas. O meu desejo é que ela nunca seja usada mas, se vier a ser necessária, vamos estar preparados para prestar qualquer tipo de socorro que seja necessário”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados