RCB/TuneIn
Domingo, 20 Mai 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
CMF REDUZIU DIVIDA EM MAIS DE 5 MILHÕES
Rádio Cova da Beira
A câmara do Fundão aprovou o relatório e contas do ano passado, no valor de 25 milhões e 81 mil euros, o que se traduziu numa taxa de execução de 85%. Paulo Fernandes destaca a redução da dívida em 5 milhões 453 mil euros, passando de mais de 65 milhões, em 2016, para 59 milhões e 900 no ano passado.
Por Paula Brito em 26 de Apr de 2018
 

O presidente da câmara do Fundão salienta que a taxa de execução do orçamento inicialmente previsto, (29 milhões 487 mil euros) mais uma vez ultrapassou os 80%.

“Explicita que estamos num processo de consolidação orçamental, de procurar haver um maior realismo entre aquilo que é planeado e executado, sendo que a maior fatia em termos das grandes opções do plano é o capítulo ligado à inovação, investimento e emprego, sendo que o capítulo dos equipamentos escolares também teve grande relevância.”

Segundo o as contas reflectem ainda uma redução do excesso de endividamento

“O município conseguiu fazer um esforço suplementar em termos da redução do excesso de endividamento, de 16%, sempre na perspectiva de continuar o exercício de redução da dívida e de consolidação do nosso orçamento. Vamos continuar e estou certo que nos próximos tempos iremos apresentar um plano para reduzir o serviço da dívida e com isso ajudar à sustentabilidade financeira do município.”

Em 2017 foi ainda possível reduzir o passivo do município em 3 milhões de euros. Um passivo condicionado pelo contencioso das águas que segundo o autarca está de novo em fase de negociação.

“O município tem acções contra as águas do Zêzere e Côa no valor que ao dia de hoje podia superar os 50 milhões de euros, e as águas do Zêzere e Côa têm acções contra o município que, ao dia de hoje, devem andar um pouco acima dos 20 milhões de euros, grosso modo, é esse o estado do contencioso. Obviamente há sempre um quadro de risco porque estamos a falar de assuntos jurídicos complexos e por isso o município tem estado à procura de uma saída negocial que possa reduzir todos esses riscos.”

Os documentos foram aprovados na última reunião privada do executivo, com os votos contra da bancada do PS que tem agendada para esta tarde uma conferência de imprensa onde analisa os documentos que serão votados na assembleia municipal da próxima segunda-feira.  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados