RCB/TuneIn
S√°bado, 20 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
OURONDO: DESAGREGAR DE CASEGAS CONTINUA A SER OBJECTIVO
Rádio Cova da Beira
O Movimento do Povo Ourondo e Relvas (MPOR),afirma em comunicado que a aldeia "continua a cumprir a sentença de morte a que foi condenada em Outubro de 2013. Podem querer matar-nos, mas não vão conseguir enterrar-nos", garantem os responsáveis do movimento.
Por Paulo Pinheiro em 05 de Apr de 2018

O MPOR assegura que a população "continua com a mesma determinação e com os mesmos objectivos, desagregar de Casegas" tornando-se urgente o fim "deste casamento não consentido". Para os responsáveis do movimento, o tempo e a vivência confirmam que apesar das “juras de amor” da câmara municipal da Covilhã, a verdade é que este “ casamento foi abençoado na intimidade pelo executivo do Partido Socialista na CMC".

Só assim se entende, prossegue o MPOR, o abandono a que chegaram várias obras em Ourondo

" Obras lançadas na campanha eleitoral no Largo da Carreira estão paradas desde Julho de 2017. O largo passou a ser um estaleiro, o espelho da consideração dos promotores pela população do Ourondo; No caminho “do Braço” durante dois meses esteve um pinheiro caído sem que a junta de Casegas o tira-se ou manda-se tirar, motivo: não temos junta no Ourondo e o ainda o largo de S. João nas Relvas, votado à escuridão "pois a câmara municipal mandou desligar a iluminação pública, esta penumbra da noite equivale ao estado de abandono que sofremos com a agregação a Casegas", frisa. 

De acordo com o MPOR, a ADC- presidente da câmara da Covilhã e o presidente do conselho de administração, "teimam em não resolver o diferendo com a igreja acerca da ocupação dos espaços dos depósitos da água, no Santuário e no Souto do Rio".

 

No campo da saúde "desviam a médica que aqui presta serviço para o Paul, a fim de realizar consultas de planeamento, ficando a da assistência médica", 

O MPOR afirma não saber se o Ourondo ainda pertence ao concelho da Covilhã, "pois o que temos tem de ser por meio de protesto e denuncia", sustenta. 

Por fim, o movimento aponta as reuniões de esclarecimento sobre a limpeza das matas "só houve sessão porque a população protestou, mas nessa reunião não esteve o Sr. Vereador, como esteve nas outras, motivo? ” Agenda”! Coincidência logo nesse domingo agenda afastou o vereador e toda vereação do Ourondo".

 

 

"Continuamos a lutar pelo nossos direitos mais fundamentais, ter uma Junta de Freguesia que nos sirva e nos honre como sempre tivemos", lê-se no comunicado . 

 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados