RCB/TuneIn
Sábado, 20 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“O ESTUDO JÁ ESTÁ DISPONÍVEL?”
Rádio Cova da Beira
A vereadora do Partido Socialista na câmara municipal do Fundão quer conhecer com detalhe o projecto para o aproveitamento hidroagrícola da Gardunha Sul. Na última reunião pública do executivo, já depois de o ministro da agricultura ter apresentado este projecto como uma das 50 prioridades ao nível de novos regadios, Joana Bento referiu que em 2017 foi feito um contrato para a elaboração do plano de viabilidade e, de então para cá, o executivo nada mais soube em relação a esta iniciativa.
Por Nuno Miguel em 04 de Apr de 2018
“Temos aqui um contrato foi assinado em Abril de 2017 que contrata uma prestação de serviços para a elaboração do estudo de viabilidade do aproveitamento hidroagrícola da Gardunha sul. É um contrato de prestação de serviços por ajuste directo, soubemos há pouco tempo que foi anunciado como um projecto candidatado mas gostaríamos de saber se este estudo já está disponível e, se for esse caso, que o mesmo seja dado ao conhecimento aos vereadores do PS”.    
Na resposta, o presidente da câmara do Fundão refere que “o plano de viabilidade está a ser feito e a seguir os seus trâmites. É um programa difícil e complexo e estamos a ir junto ao conjunto das entidades competentes para irmos validando aquilo que são os estudos técnicos que estão a ser feitos. Ele está na sua fase final e depois das reuniões que vamos tendo ele vai sendo corrigido e actualizado e espero que nas próximas semanas ele possa estar concluído”. 
Paulo Fernandes acrescenta que todo o trabalho feito pelo município foi determinante para que a obra pudesse constar do denominado “Plano Juncker”, e agora ser considerado como um investimento prioritário também pelo governo Português “nós já tínhamos algum trabalho feito relativamente ao levantamento dos agricultores e das propriedades, que foi um trabalho feito em parceria com a escola superior agrária do IPCB. Na altura isso permitiu sinalizar o projecto «Gardunha Sul» no chamado «Plano Juncker», que tem financiamento a partir do BEI e decorre desse trabalho o mapeamento que agora surgiu onde esse regadio foi apresentado há relativamente pouco tempo pelo ministro da agricultura e onde aparece entre as 50 áreas estratégicas de regadio para os próximos anos”. 
Nesta reunião pública do executivo, Paulo Fernandes refere que apesar de a importância desta obra ser reconhecida por todos, ainda não está definido qual o modelo a seguir para a sua concretização “vamos ver se será o município a fazê-lo, se será o estado central ou se será alguma associação de regantes. De uma forma geral quem promove os regadios é o próprio estado. Nós estamos a desenvolver os estudos para acelerar essa possibilidade de ter o regadio uma vez que o da Cova da Beira, que levou 50 anos a ser feito, ainda não estava bem acabado e nós já estávamos a falar do da Gardunha sul”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados