RCB/TuneIn
Segunda, 23 Abr 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
BE: DISTRITAIS PEDEM A DEMISSÃO DE CELESTE AMARO
Rádio Cova da Beira
As coordenadoras distritais do Bloco de Esquerda de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Santarém e Viseu exigem, em comunicado, que o ministro da cultura proceda à substituição imediata da directora regional de cultura do centro “que demonstrou não saber estar à altura da dignidade do cargo para o qual foi nomeada”.
Por Nuno Miguel em 04 de Apr de 2018
Em causa está o facto de Celeste Amaro “ter dito, numa cerimónia pública em que participava enquanto representante do ministério da cultura, que as estruturas artísticas que recebem financiamento público incomodam a administração central” e ter insinuado que estas preferem estar ao computador a tratar dos processos de candidaturas do que a trabalhar”.
De acordo com o Bloco de Esquerda logo após esta situação ter acontecido os deputados Jorge Campos, José Manuel Pureza e Heitor Sousa entregaram um requerimento ao Ministro da Cultura, perguntando se este se revia nas afirmações e se considerava que a dirigente continua a ter condições para exercer o cargo. Mesmo sem ter respondido formalmente a esse requerimento, Luís Filipe Mendes referiu-se ao caso na Assembleia da República, afirmando que “após a retractação pública feita pela senhora directora regional e estando quase no final do seu mandato, não consideramos haver matéria para uma acção de demissão".
Neste comunicado, as coordenadoras distritais do Bloco de Esquerda mostram a sua “perplexidade” com esta reacção do ministro da cultura “não só porque não houve qualquer retractação pública por parte da actual directora regional, mas também porque, perante a gravidade da situação, a relativa proximidade do fim do mandato não pode servir de desculpa para minimizar a falta”, acrescentando que  “ao minimizar a gravidade das declarações, o ministro da cultura torna-se co-responsável por esta afronta aos agentes culturais” e contribui “para alimentar a inaceitável narrativa da subsidio-dependência” dos artistas e das estruturas de criação, contradizendo também ele os princípios do governo a que pertence”.
O Bloco de Esquerda sublinha que “para além das reacções individuais, públicas e privadas, destacamos a representatividade de uma petição subscrita, até ao momento, por mais de 1.250 pessoas, entre as quais estão dirigentes de praticamente todas as estruturas que prestam serviço público na área da cultura” nos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Santarém e Viseu em que as declarações de Celeste Amaro são “repudiadas” e onde consideram que a directora regional de cultura do centro “não tem condições para continuar no cargo”. Por isso as concelhias distritais da região exigem ao ministro da cultura “que proceda à substituição imediata da directora regional da cultura, que demonstrou não saber estar à altura da dignidade do cargo para o qual foi nomeada”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados