RCB/TuneIn
Sábado, 20 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
JSD: CANDIDATA APRESENTA MEDIDAS
Rádio Cova da Beira
Foram três as propostas apresentadas por Margarida Balseiro Lopes para aumentar a fixação de jovens nos territórios de baixa densidade. A candidata à liderança da comissão política nacional da JSD esteve de visita à região para apresentar o seu programa de candidatura aos jovens do distrito.
Por Nuno Miguel em 03 de Apr de 2018
A primeira grande medida passa pela criação de um programa de incentivos que permita que mais empresas se fixem na região “essa é uma questão manifestamente importante, desde logo para que seja efectivamente aplicado um conceito que nós defendemos que é a mobilidade social e a necessidade, independentemente do sítio onde nascemos, isso não ser um factor que condiciona aquilo que vamos fazer na nossa vida. Nesse sentido temos que tratar de forma diferente uma empresa que se queira sediar num concelho de baixa densidade populacional porque o papel que essa empresa vai desempenhar a nível económico e social naquele município é totalmente diferente de uma empresa que queira desenvolver a sua actividade num concelho do litoral do país”.
A segunda proposta diz respeito à flexibilização dos critérios para abertura de turmas ao nível do ensino básico e secundário “não pode haver uma regra definida em Lisboa para um concelho como Leiria ou Pombal e ela ser igualmente aplicada na Sertã ou em Pedrógão. À semelhança daquilo que ouvimos falar muitas vezes que é o factor de sustentabilidade da segurança social também aqui deve haver um factor de coesão, garantindo que existe uma flexibilização na abertura de turmas e com isso assegurando que os alunos vão cada vez mais tarde para fora das suas terras ou dos seus concelhos”.  
Ainda relacionado com a educação, Margarida Balseiro Lopes entende que é necessário acabar com a discriminação no financiamento às instituições de ensino superior, referindo que o papel que universidades e politécnicos desempenham no interior do país vai muito além da qualificação dos jovens “são sobretudo instituições promotoras de desenvolvimento económico e social das regiões onde estão inseridas. Por isso não podem ser constantemente penalizadas no financiamento que recebem do orçamento de estado. Um dos casos mais flagrantes tem a ver com a UBI, mas não só. Se analisarmos esse financiamento ao nível dos serviços de acção social constatamos que o custo por aluno num concelho do litoral é substancialmente superior ao de um aluno que estude numa instituição do interior. É exactamente o oposto daquilo que devia acontecer”.
A candidata à liderança da JSD foi ainda confrontada com a questão das portagens na A 23 e na A 25. Margarida Balseiro Lopes defende a redução do valor cobrado e a adopção de medidas de discriminação positivas para cidadãos e empresas do interior mas não se mostra favorável à sua abolição “para além de actualmente ser deputada fiz uma tese de mestrado sobre as parcerias publico-privadas no sector rodoviário e nunca me consigo desligar dessa componente técnica que é complementar à questão política. Alguém tem de pagar aquelas estradas, eu acredito na lógica do utilizador-pagador mas as pessoas do interior devem ser tratadas de forma diferente, com mais apoios, e por isso defendo uma redução do valor e não a sua abolição”.  
O congresso nacional da JSD vai decorrer entre 13 e 15 de Abril no distrito do Porto. Para além de Margarida Balseiro Lopes, também André Neves está na corrida à sucessão de Simão Ribeiro. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados