RCB/TuneIn
Sábado, 20 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
LANIFATO DESPEDE DELEGADA SINDICAL
Rádio Cova da Beira
Depois de ter levantado um processo disciplinar, a gerência da empresa Lanifato, em Belmonte, despediu a delegada sindical. A informação é veiculada pelo Sindicato dos Têxteis da Beira Baixa.
Por Paulo Pinheiro em 16 de Mar de 2018

Para aquela estrutura sindical, a decisão da administração da unidade de confecções "confirma que pratica assédio moral”, uma denúncia que oSTBB tem vindo a efectuar.  

 

Em comunicado, o sindicato refere que para o despedimento parecer normal a empresa inventou “um conjunto de falsidades e arranja testemunhas à força da ameaça e da chantagem” para “passar a ideia que o que está em causa não é o assédio moral que efectivamente pratica”.

 

Após lembrar que, ainda antes da instauração do processo disciplinar “uma emissária da empresa” contactou o STBB para negociar a saída da delegada sindical da unidade de confecções “ficando provado que o objectivo era despedir custasse o que custasse”, a direcção do Sindicato dos Têxteis da Beira Baixa deixa claro que “não são estas manobras canhestras e pacóvias (há muito afastadas das relações de trabalho) que nos farão recuar um milímetro da denúncia de todos os atropelos que se praticam naquele ‘campo de concentração”.

 

Na nota envida aos órgãos de comunicação social, o sindicato garante que “não deixará as trabalhadoras a sua sorte… que depois deste delegada sindical outra virá e o sindicato lá continuará”.

 

O STBB exige uma actuação firme da ACT, do IEFP, da Justiça e do Governo”

“Da ACT, que já nos notificou por escrito dizendo que há indícios de assédio moral na empresa, esperamos que dê andamento e urgência ao processo de assédio. Do IEFP exigimos que não envie mais trabalhadoras para aquele “campo de concentração”. Da justiça em geral apelamos a uma investigação profunda e completa ao PER (Plano Especial de Revitalização) da UNIDECO, em que a Lanifato esteve envolvida como pretensa credora de montantes astronómicos. Ao Governo exigimos que suspenda de imediato a entrega de qualquer verba das candidaturas que imoralmente lhe aprovou, no âmbito do Portugal 2020 Centro”, frisa.

 

 

Contactada pela RCB, na Lanifato não se encontrava ninguém disponível para prestar declarações.   

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados