RCB/TuneIn
Terça, 25 Set 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
CHCB VAI TRATAR ENFARTE 24 HORAS POR DIA
Rádio Cova da Beira
Ministro da saúde quer regressar à Covilhã no final do Verão para inaugurar a unidade de cardiologia de intervenção no Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB) que vai permitir “com qualidade, tratar o enfarte 24 horas por dia.”
Por Paula Brito em 09 de Mar de 2018
 

Esta manhã, Adalberto Campos Fernandes confirmou a criação desta unidade no hospital Pêro da Covilhã. Um investimento que reforça a coesão territorial e vem colmatar uma lacuna que existia no mapa nacional onde a Beira Interior surgia como única região do país onde não existia este tipo de intervenção.

“É demasiado importante aqui ter uma unidade que responda às necessidades agudas de doentes que precisam e que têm que ter uma resposta em tempo útil. Vamos continuar a fazer um esforço reforçado de investimento nos equipamentos, nas infra-estruturas, na modernização, para que em 2019, quando o SNS completa 40 anos, possamos voltar aqui, eu espero vir antes para vir à inauguração da unidade a seguir ao Verão, mas vir aqui as vezes que forem necessárias para dizer que nós pensamos o país pelo todo e o governo considera o interior uma prioridade política.”  

Segundo a presidente da ARS do Centro, Rosa Maria Vaz, os números, por si só, justificam a criação desta unidade na Beira Interior.

“A região da Beira Interior é neste momento a única zona do país sem acesso a angioplastia primária em tempo útil, conforme determinam as boas práticas clínicas. Todos os anos são feitas cerca de 600 intervenções coronárias e mil cateterismos diagnósticos, metade com síndromas coronários agudos, em doentes provenientes do CHCB, do Hospital de Castelo Branco e do Hospital da Guarda, obrigando a deslocações onerosas e a complicações que podem decorrer de um transporte demorado de um doente instável.”

O director do serviço de cardiologia do Centro Hospitalar da Cova da Beira, António Peixeiro, salienta a importância deste dia para a região em particular e para a cardiologia em geral.

“A cardiologia portuguesa estava com uma zona cinzenta em termos de tratamento do enfarte miocárdio, esta zona do interior, e com o anúncio feito hoje pelo senhor ministro da saúde vamos ficar com uma cobertura total do país para fazer o tratamento correcto do enfarte do miocárdio, dos doentes coronários agudos, uma coisa com toda a qualidade. Vamos contar para isso, inicialmente no mínimo com quatro equipas externas que se vão deslocar 24 horas por dia, 365 dias por ano, ao hospital da Covilhã, que vão fazer os doentes electivos no seu horário normal de trabalho e as urgências 24 horas por dia, que é este o objectivo desta sala.”

A unidade de cardiologia de intervenção terá uma sala de hemodinâmica devidamente equipada, gabinetes e uma zona de recobro. Numa primeira fase serão contratadas equipas externas experientes neste tipo de procedimentos, até que as equipas do Centro Hospitalar da Cova da Beira tenham autonomia para realizar as intervenções, o que segundo João Casteleiro, presidente do conselho de administração do CHCB poderá demorar até cinco anos.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados