RCB/TuneIn
Domingo, 24 Jun 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
ALCARIA: SEGURANÇA SOCIAL REDUZ ACORDOS A IPSS
Rádio Cova da Beira
É a sustentabilidade do Centro Social de Nossa Senhora das Necessidades, em Alcaria, que está em causa e a própria freguesia. Em causa está a redução para metade dos acordos com a Segurança Social.
Por Paulo Pinheiro em 08 de Mar de 2018

A preocupação foi deixada na última sessão da Assembleia Municipal do Fundão pelo presidente da junta que teceu críticas quem tomou a decisão. O autarca recordou que o processo começou há cerca de um ano quando o Instituto de São Miguel decidiu fechar as valências de creche, jardim-de-infância e ATL, que geriu durante quase cinquenta anos.

 

As entidades, CMF e Junta de Freguesia, de imediato encetaram diligências para ultrapassar o problema, por considerarem fundamentais as três respostas para a aldeia, e após uma série de reuniões foi encontrada uma solução com a IPSS de Alcaria

“Tendo já uma IPPS na freguesia que tinha lar, centro de dia e apoio domiciliário chamamo-la ao processo e os responsáveis aceitaram negociar com o Instituto de São Miguel a transferência dessas valências e do edifício que as acolhia porque era fundamental para, num curto espaço de tempo, assegurar a sua continuidade”, explicou Hélder Marrucho.

 

O processo desenrolou-se, sempre com o conhecimento da Direcção da Segurança Social distrital de Castelo Branco, e o acordo foi alcançado. O Centro de Nossa Senhora das Necessidades começou a coordenar estas valência a 1 de Setembro de 2017, mas não obtinha resposta da Segurança Social quanto aos acordos de apoio

“E daí o problema que coloca em causa a sustentabilidade da instituição. Em Junho de 2017, o Centro Social tinha 66 vagas, distribuídas por creche, jardim-de-infância e ATL e na altura existiam 41 acordos aprovados e tínhamos 24 crianças”, refere o autarca.

Actualmente, a instituição tem 53 crianças, mais do dobro do número que tinha o Instituto quando encerrou, e há poucos dias a direcção do Centro Social Nossa Senhora das Necessidades recebeu da Segurança Social a informação que apenas se mantinham 20 dos 41 acordos que existiam

“É ridículo. Não sei quem analisa estas situações, mas parece ser alguém que está sentado num gabinete, em Lisboa, que faz tábua rasa destas avaliações e deve pensar que Alcaria está inserida em alguma Área Metropolitana de Lisboa ou Porto, em que há possibilidades de respostas noutros locais, e não numa freguesia que se encontra num meio rural, no interior, e que chega a essas conclusões que para o comum dos mortais é incrível. Estamos a duplicar o número de crianças e a diminuir para metade os acordos com a Segurança Social”, frisa Hélder Marrucho.

 

Para o presidente da junta de freguesia de Alcaria é a sustentabilidade da instituição que está posta em causa dado que ainda agora iniciou o trabalho naquelas valências, mas no pressuposto que pelo menos os acordos existentes se mantinham

“Faço aqui um apelo ao executivo da CMF para que o mais rápido possível possa diligenciar junto das instituições para se encontrar uma solução e rectificar este erro porque se pensarmos no encerramento daquelas valências, dois ou três anos depois vai a escola básico e vai a vida da freguesia”, constata o autarca de Alcaria.  

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados