RCB/TuneIn
Terça, 25 Set 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
SILVARES: CENTRAL DE RECOLHA FORA DO PARQUE INDUSTRIAL
Rádio Cova da Beira
A central de recolha e destroçamento de madeira em Silvares, um dos três pontos de recolha no concelho para alimentar a Central de Biomassa, que deve estar concluída em Março de 2019, não vai ser construída no pólo industrial da vila.
Por Paulo Pinheiro em 28 de Feb de 2018

O anúncio foi feito pela presidente da junta no decorrer da última sessão da assembleia de freguesia.

 

“A informação foi-me transmitida no decorrer de uma reunião na câmara municipal do Fundão e aponta para que em terreno industrial não se pode construir aquela central”, disse Cláudia Pereira.

 

A novidade apanhou de surpresa a bancada do PSD “Desconhecia. Na altura em que foi analisado o assunto com a empresa interessada em instalar a central no loteamento industrial nunca foi colocada outra localização e, além disso, o parque industrial do Souto tem uma parte já em lotes para solo industrial, mas tem uma grande zona que ainda não está terminada, que é a segunda fase do projecto, e essa podia ser aproveitada para esse projecto inicial”, disse Carina Batista, líder da bancada social-democrata.

 

O assunto foi também analisado na última reunião da câmara municipal do Fundão, com caráter privado. A vereadora do Partido Socialista deixa críticas à gestão do processo pela maioria do PSD na autarquia

“Dizer á presidente da junta de freguesia que por uma questão legal esse investimento não é localizado no loteamento industrial é dizer àquela zona que o município defraudou as expectativas daquela zona do concelho e fez desta uma bandeira ilegal. Se não é legal colocar no loteamento aquela infraestrutura então a bandeira é no mínimo imoral. Curiosamente o presidente da CMF desmente as declarações da presidente da junta”, refere Joana Bento

 

De acordo com a autarca, na reunião do executivo o presidente do município informou que o investidor mantém o interesse em se instalar em Silvares e que a opção de não construir no loteamento prende-se com a dimensão do unidade. Outra falácia. Toda a gente sabia qual era a aérea do parque industrial e o investidor sabia à partida a dimensão do seu projecto. Vir a meio do jogo dizer isto é brincar com as expectativas do silvarenses e do concelho”, frisa.

 

O presidente do município não entende o porquê da controvérsia

 

“O promotor desse centro, que está conectado com a central de biomassa, inicialmente pretendeu um conjunto de lotes da zona industrial de Silvares, entretanto informou-nos que pretende um terreno de maior dimensão, em Silvares. O que nós queremos é ter naquela zona do pinhal um centro de recolha e não levantaámos problemas e creio até que o processo está a ser concertado com a junta de freguesia de Silvares. Não compreendo onde está o problema”, refere.

 

A junta de freguesia de Silvares comunicou à CMF o interesse de uma empresa instalar-se na zona industrial da freguesia

“Trata-se de uma empresa internacional que numa fase inicial cria dois postos de trabalho, mas que para Silvares é muito bom até porque é a primeira empresa a instalar-se no parque industrial, nas áreas da manutenção e programação de máquinas industriais. Dentro de dois anos a unidade estará instalada e espero que outros sigam o mesmo caminho”, acrescenta a autarca. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados