RCB/TuneIn
Terça, 11 Dez 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
SAÚDE VOLTA A GERAR PREOCUPAÇÃO
Rádio Cova da Beira
A bancada da oposição na câmara municipal de Belmonte ouviu com preocupação as palavras do presidente da autarquia na sessão comemorativa do último aniversário do centro hospitalar da Cova da Beira onde António Dias Rocha afirmou que a realidade do concelho na área da saúde está hoje pior do que há 20 anos.
Por Nuno Miguel em 27 de Feb de 2018
O tema esteve em cima da mesa na última reunião pública do executivo, onde Luís António Almeida considerou que tais palavras beliscam o trabalho que está a ser feito pela actual direcção do centro de saúde “quando nós valorizamos aqui o trabalho que é feito pela direcção do centro de saúde, parece que o trabalho que está a ser feito não é assim tão bom. Nesse sentido gostaríamos de saber, uma vez que o senhor diz que estamos pior dom que há 20 anos, o que é que se está a fazer para inverter esta situação”. 
Na resposta o presidente da câmara de Belmonte garante que não retira uma vírgula às afirmações que proferiu. António Dias Rocha sustenta que “não falei mal de ninguém; disse apenas aquilo que sentia. É ou não verdade que piorámos? Se tínhamos extensões em todas as aldeias e agora nenhuma está a funcionar, estamos melhor ou pior? Tinhamos oito médicos e agora temos três. Mas também quero dizer ao senhor vereador que valeu a pena a minha intervenção no centro hospitalar porque o senhor presidente da faculdade de ciências da saúde da UBI teve a amabilidade de me contactar para me dizer que vai procurar encontrar uma solução para Belmonte”. 
Uma questão sob a qual também se pronunciou o vice presidente da autarquia, que marcou presença na reunião que recentemente decorreu com responsáveis da ARS do Centro para abordar esta problemática. António Manuel Rodrigues acredita que até final deste ano o concelho vai receber novos médicos e, ao mesmo, tempo, afirma que as declarações de António Dias Rocha nunca quiseram beliscar a imagem da actual direcção do centro de saúde “em nenhum momento foi dito que a gestão do centro de saúde estava pior; disse que a saúde estava pior no concelho. Ainda recentemente estive em representação do município numa reunião na ARS e onde foi elogiado o desempenho do director do centro de saúde e que nós subscrevemos. E relativamente ao maior problema que temos no concelho, que é a falta de médicos, ficou acordado de que se até ao verão não houver uma outra solução, logo que os últimos alunos terminarem o seu curso, iremos ter com toda a certeza mais um médico”.
Na reunião em Coimbra, os autarcas e a ARS Centro analisaram vários dossiers, entre elas a criação da unidade local de saúde da Cova da Beira, a medicina nuclear e hemodinâmica. Os autarcas sublinharam a necessidade acabar com o subfinanciamento do centro hospitalar. À RCB, o presidente da câmara da Covilhã afirma que “de uma reunião desta natureza não poderiam sair decisões imediatamente mas há abertura e disponibilidade para o diálogo, para o trabalho e para o empenhamento que temos em várias frentes. Estamos esperançados que estes assuntos se vão resolver. Não será da noite para o dia mas esperamos que sejam dados passos concretos nesse sentido”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados