RCB/TuneIn
Sexta, 25 Mai 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
"ACABAR COM A MARGINALIZAÇÃO DO PS DO FUNDÃO"
Rádio Cova da Beira
Eis uma das tarefas que o novo presidente da concelhia do Partido Socialista do Fundão elege para o mandato. António Quelhas afirma que o Fundão, terceiro mais importante pólo de desenvolvimento do distrito, tem também que no PS ser tratado com esta grandeza.
Por Paulo Pinheiro em 01 de Feb de 2018

O recém-eleito presidente da comissão política não hesita em afirmar que ao longo dos últimos anos o PS fundanense foi marginalizado

“O Fundão tem participado mas sempre de uma forma que não reflecte a sua importância distrital. Veja o que se passa com a distribuição de cargos, tudo o que tem a ver com a influência do Fundão em relação às orgânicas da região, o Fundão tem sido marginalizado”, salienta.  

Por isto, e porque se aproximam eleições para a Federação Distrital de Castelo Branco do PS, António Quelhas deixa o aviso

“Comigo à frente da concelhia, quem decide alinhamentos futuros é a comissão política depois de ouviras eventuais candidaturas que aparecerem. O interesse do Fundão vai ser decisivo para as decisões a tomar. A lista que se apresentar às eleições que mais oferecer ao Fundão será aquela que apoiaremos”, garante.

Entrevistado no programa RCB “Flagrante Directo”, o também vereador da câmara municipal do Fundão deixou vincada a posição dos socialistas do Fundão, por exemplo, em relação à área da saúde. Qualquer que seja a solução que venha a ser encontrada, o hospital do Fundão tem que ser parte da solução e nunca visto como um problema

 

“Não podemos aceitar que esteja em causa o futuro do hospital do Fundão. Não sei se é com os projectos da medicina nuclear ou se com outros, mas o Fundão tem uma estrutura que tem capacidades e temos um deficit na qualidade de serviço de saúde no concelho. Há aqui alguma coisa que não funciona”, sustenta.

Crítico em relação ao material circulante da Linha da Beira Baixa “que cada vez tem menos qualidade”, António Quelhas mostrou-se indignado também com o processo de subfinanciamento da Universidade da Beira Interior

Não podemos aceitar este subfinanciamento crónico das instituições de relevo do Interior. Começo a pensar que isto é uma estratégia porque ao domingo, segunda e terça o Interior com a Unidade de Missão é prioridade nacional e à quarta, quinta e sexta não há dinheiro para estas zonas e mandam os piores materiais circulantes ferroviários e as portagens continuam a ser mais caras. Isto não é consistente ”, conclui António Quelhas.  

O presidente da concelhia quer mais militantes inscritos porque o PS do Fundão “não tem tido um exército forte”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados