RCB/TuneIn
Terça, 14 Ago 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
ULS COVA DA BEIRA: PCP ESPERA PELO PROJECTO PARA DECIDIR
Rádio Cova da Beira
O PCP s√≥ toma posi√ß√£o sobre a cria√ß√£o de uma Unidade Local de Sa√ļde (ULS) para a Cova da Beira quando conhecer os pressupostos e o tipo de respostas que essa unidade pode vir a dar.
Por Paulo Pinheiro em 31 de Jan de 2018

Admitindo que para uma resposta adequada do Serviço Nacional de Saúde às populações tem que existir uma boa articulação entre os vários níveis de cuidados (primários, hospitalares e continuados), a deputada comunista Paula Santos sublinha que os casos existentes em Portugal não contrariam o pressuposto da concentração da Unidade Local nos cuidados hospitalares. Existem outros casos em que se verifica a diminuição de serviços nos hospitais

“Conhecemos outros exemplos pelo país em que o projecto para a criação da Unidade Local de Saúde conduz à redução, por exemplo, de um conjunto de serviços e valências ao nível hospitalar e isto nós não acompanhamos. Queremos primeiro conhecer os serviços que vão funcionar, as valências que os hospitais vão ter, entre outras questões e depois tomaremos uma posição”, disse.  

A deputada colocou o cenário: se a Unidade Local de Saúde a criar na Cova da Beira apontasse para o fecho do hospital do Fundão, o PCP não podia votar favoravelmente. De resto, em relação à unidade hospitalar fundanense, depois de recordar que em sede da Assembleia da República o PCP foi contra a possibilidade do hospital passar para a gestão da Santa Casa da Misericórdia do Fundão, decisão contrária à que tomaram PS e PSD, Paula Santos volta a defender o reforço de valências para aquela unidade

“Deviam ser reforçados os meios no conjunto dos serviços para uma melhor resposta aos cidadãos porque aquilo que assistimos nos últimos anos foi a sucessiva retirada de valências ao hospital do Fundão. Ao fim destes anos, a avaliação que fazemos é negativa porque não foi benéfica para a população”, afirma.

Em mais uma visita ao distrito de Castelo Branco, desta vez centrada no Fundão, Paula Santos reuniu com os responsáveis do Centro de Saúde do Fundão, no âmbito do ACES Cova da Beira, e ficou a saber que actualmente não tem psicólogo. O reforço de meios humanos é um dos principais constrangimentos

“Ficámos a saber que o Centro de Saúde do Fundão não tem psicólogo e que tem carência de meios, quando há uma grande preocupação com a saúde mental dos utentes que o centro abrange, nomeadamente o surgimento de um conjunto de demências na população mais envelhecida mas também preocupação relativamente à população mais jovem”  

O reforço dos cuidados continuados é outra das necessidades sentidas no concelho, uma constatação sublinhada pela deputada na sequência da reunião que manteve com os responsáveis da SCMF.

 

  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados