RCB/TuneIn
Quarta, 17 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“TURISMO PRECISA DE OUTRA DINÂMICA”
Rádio Cova da Beira
O líder da bancada da oposição na câmara municipal de Belmonte desafia António Dias Rocha a liderar um movimento no sentido de criar uma nova dinamização em torno do sector do turismo para toda a região.
Por Nuno Miguel em 26 de Jan de 2018
De acordo com Amândio Melo os concelhos do interior estão a ser penalizados com a opção seguida pelo governo em criar a grande região de turismo do centro, não valorizando uma das principais marcas do país como é a Serra da Estrela. A prova-lo estão os números do investimento, que são claramente superiores nos municípios do litoral “nós temos activos importantíssimos aqui no interior que não têm sido valorizados pela entidade de turismo da região centro. Tanto quanto é sabido, não se tem dado pela sua presença nas iniciativas de promoção em relação ao interior. No meu entendimento a sua intervenção tem estado centrada no litoral. Basta olhar para o orçamento da região de turismo do centro para perceber claramente isso”  
Para Amândio Melo a região dispõe de organismos capazes de criar essa maior dinâmica no sector do turismo, deixando como exemplo a associação de municípios da Cova da Beira “é um organismo que também é presidido pelo senhor presidente da câmara, que tem uma abrangência geográfica que vai quase do Douro ao Tejo e temos de ter a noção que a promoção do turismo não se pode fazer apenas ao nível do nosso concelho e de municípios mais próximos porque nem todos tem a aptidão que é precisar ter para serem destinos turísticos de qualidade. O que eu pedia é que este assunto pudesse vir a ser abordado em sede própria e criar aqui um lobby no bom sentido da palavra para reivindicar à região de turismo do centro mais investimento para toda esta zona do interior e uma maior capacidade de promoção que, até agora, não tem evidenciado”. 
Na resposta, o presidente da câmara de Belmonte reconhece que é necessário equacionar toda a situação, uma vez que os turistas não se podem limitar a conhecer o litoral e os grandes centros urbanos do país “o turismo do centro envolve 100 municípios e não é possível uma entidade poder coordenar e apoiar todos eles. É um trabalho extenuante e, que às vezes, não dá os resultados que deveria dar. Este é um sector da máxima importância para o país pelas verbas que envolve e pelos números de turistas, que ronda os 15 milhões. Mas estes turistas não podem ficar só no litoral, tem de vir para o interior e por isso as entidades e a secretaria de estado tem de nos ajudar nesse sentido. Espero que as coisas mudem e que possam mudar para melhor”.
Recorde-se que em recente vista à região, a secretária de estado do turismo reconhecia que havia ainda muito a fazer em torno da dinamização do maciço central, mas rejeitando a ideia de vir a ser recuperada a entidade regional de turismo da Serra da Estrela.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados