RCB/TuneIn
Sexta, 19 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
FRC ASSINALA ANIVERSÁRIO
Rádio Cova da Beira
Os 110 anos da Filarmónica Recreativa Carvalhense foram o último aniversário em que Manuel Serra marcou presença como presidente da direcção da instituição. Em Março vão ser eleitos os novos órgãos sociais e o actual líder directivo já fez saber que não se recandidata por motivos de ordem pessoal.
Por Nuno Miguel em 09 de Jan de 2018
“Infelizmente estou a passar por problemas muito complicados a nível familiar e provavelmente este será o último aniversário da filarmónica que o Manuel Serra está a comemorar como presidente da direcção. E mesmo se houver algum convite por parte de alguém que possa apresentar uma lista, e eu espero que isso aconteça, a situação terá de ser muito bem ponderada. Não quero dizer com isso que me afaste desta casa que eu considero como a minha segunda família”.  
Ao comemorar este aniversário, Manuel Serra afirma que a filarmónica se continua a distinguir como o principal embaixador cultural da união de freguesias de Cantar Galo e Vila do Carvalho. Todavia existe alguma preocupação quanto ao futuro uma vez que os recursos humanos são escassos “embora tenha sido criada a união de freguesias a juventude escasseia e ela é a principal mão de obra da filarmónica. Temos estado empenhados em fazer contactos em localidades vizinhas como o Teixoso ou o Canhoso e conseguimos alguns resultados. Hoje mesmo vão ser baptizados dois novos executantes. Um deles é o Tomás Durão, que o pai também já passou por esta casa e é um filho da terra e temos uma executante, a Ana Margarida, que é natural do Sarzedo. E para nós é um orgulho que ela também faça parte desta nossa família”.
Actualmente com cerca de 40 executantes, a banda viu reforçado o seu quadro neste aniversário com dois novos elementos. Um número que pode subir ainda este ano, resultante do trabalho que está a ser desenvolvido pela escola de música “a escola continua a trabalhar, sob a direcção do Hélder Antunes que é um executante de requinte da filarmónica e se tudo correr dentro do previsto ainda este ano podem alguns novos elementos integrar a banda. Agora existe um interregno em termos de actuações mas acredito que numa das próximas saídas já vamos apresentar sangue novo, resultante do trabalho de formação que temos vindo a desenvolver”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados