RCB/TuneIn
Domingo, 15 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
URG?NCIAS DO FUND?O: TUDO TEM QUE SER REAVALIADO
A uni?o dos sindicatos do distrito de Castelo Branco (USCB) pretende que a assembleia e a c?mara municipal do Fund?o debatam o encerramento do servi?o de urg?ncias. Em causa pode estar o esvaziamento da unidade hospitalar, at? o fecho ou a sua privatiza??o
Por Paulo Pinheiro em 08 de Jan de 2008
A união dos sindicatos do distrito de Castelo Branco vai, em breve, promover um abaixo-assinado, junto da população do concelho do Fundão, com o objectivo de solicitar uma sessão extraordinária da assembleia municipal sobre o encerramento do serviço de urgências do hospital fundanense “é preciso ouvir a população, os profissionais de saúde e os responsáveis” refere o coordenador da USCB. Luís Garra, que falava no final de uma reunião, no centro de saúde do Fundão, com cerca de uma dúzia de dirigentes e delegados sindicais da área da saúde concelhios disse ter “sérias certezas que podem estar em causa o esvaziamento do hospital e posteriormente o fecho da unidade hospitalar”. Para o sindicalista o Governo está a actuar nas urgências querendo construir a casa pelo telhado “fecha o serviço sem antes ter feito os investimentos necessários nos cuidados primários de saúde. O poder político mentiu à população do concelho”. Perante a situação, o coordenador da união dos sindicatos do distrito de Castelo Branco, a população tem que reagir e perceber que “o que está em causa é o futuro do hospital”. Segundo Luís Garra encerramento das urgências no Fundão trouxe custos acrescidos para os doentes “quem for à consulta aberta no Fundão paga 2.10 euros e se for necessário recorrer às urgências do hospital Pêro da Covilhã tem que desembolsar mais 8.20 euros”, mas também para o serviço nacional de saúde “com as ambulâncias a andarem de um lado para o outro gastam mais do que se as urgências estivessem a funcionar”. ~Em relação ao pagamento de taxas moderadoras, o presidente do conselho de administração do centro hospitalar da Cova da Beira garantiu só haver lugar ao pagamento da taxa no Fundão. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados