RCB/TuneIn
Quinta, 19 Jul 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
POPULAÇÃO FOI DISCRIMINADA
Rádio Cova da Beira
O presidente da união de freguesias de Peso e Vales do Rio acusa a câmara da Covilhã de ter discriminado às populações daquelas duas aldeias no que diz respeito à melhoria das acessibilidades. Na última reunião da assembleia municipal, Rui Amaro não escondeu a insatisfação pelo facto de o troço entre Vales do Rio e Peso não ter sido contemplado na requalificação da estrada municipal 513 entre o Tortosendo e o Barco.
Por Nuno Miguel em 29 de Dec de 2017
“Começaram, e bem, a alcatroar deste o Tortosendo até ao Dominguiso e a população estava toda contente pois iriamos ter a estrada arranjada sem buracos. Estiveram as máquinas paradas entre o Dominguiso e Vales do Rio cerca de um mês. Qual o espanto de todos os pesenses e valrrienses quando vêem arrancar no Barco a colocação de um selante na estrada para a Coutada. Em Novembro arranca novamente a obra e é colocado «slurry» entre o Dominguiso e o cemitério de Vales do Rio. Espanto meu porque me tinha sido comunicado que nesse troço seria colocada uma camada de massa asfáltica para a resolução do problema. Mais uma vez, para espanto geral, o «slurry» parou, a empresa recolheu as suas máquinas e foi à sua vida. Continuamos a achar que algo se passa e por isso deixamos a pergunta; o que será?”.  
A posição do autarca mereceu até a solidariedade do líder da bancada da CDU. Vítor Reis Silva refere que “não se compreende nem a população entende a discriminação clara e objectiva que houve em período eleitoral naquele troço. Entre Vales do Rio e Peso praticamente ficou no limite a ausência de pavimentação em período eleitoral, dando a ideia à população que não tendo o PS candidato naquela união de freguesias não se pavimenta a via. Se não foi essa a intenção foi aquilo que pareceu”.
Críticas que o presidente da câmara da Covilhã rejeita. Vítor Pereira afirma que “não houve qualquer tipo de discriminação. Foi uma mera coincidência e por uma razão muito simples. Nós fizemos dois tipos de intervenção; uma em que pressupunha a estabilização definitiva do pavimento com massa betuminosa e noutras foi a regularização do pavimento. Na zona que diz respeito à sua freguesia carece de uma intervenção mais profunda porque há zonas muito degradadas sendo que na sua foi quando terminou o contrato que tínhamos com aquela empresa para a aplicação de betuminoso e não foi possível lá chegar. Logo que o tempo o permita, possivelmente na próxima primavera, será intervencionada essa estrada e o senhor presidente da junta verá que não houve nem haverá qualquer discriminação”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados