RCB/TuneIn
Sexta, 15 Dez 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CIDADE MAIS AMIGA
Rádio Cova da Beira
Transformar a Covilhã numa cidade mais amiga dos cidadãos idosos e portadores de deficiência. Foi esta uma das propostas que o vereador do CDS/PP apresentou na última reunião pública do executivo.
Por Nuno Miguel em 22 de Nov de 2017
Adolfo Mesquita Nunes defende a elaboração de um plano com acções específicas que permita melhorar as condições de mobilidade para os cidadãos com mais dificuldades “precisamos de aprovar um plano para que nos próximos anos a cidade se torne mais amiga para as pessoas portadoras de deficiência e, com situações muito próximas, também os mais idosos que também já tem algumas limitações motoras e que muitas vezes já não saem à rua em dias de chuva porque podem escorregar e a calçada não lhes é favorável. Eu estou ciente de que este é um trabalho que nos sensibiliza a todos, que necessita de planeamento e de estratégia, e o que eu proponho é que iniciemos esse trabalho, com a coordenação de alguém que possa assegurar a sua qualidade técnica, para transformar algumas zonas do nosso concelho mais amigáveis para as pessoas que tem estas diferenças”.   
Nesta reunião do executivo covilhanense, o vereador do CDS/PP não perdeu a oportunidade para voltar a defender a elaboração de um plano para a requalificação do parque de habitação social “bastou-me ver as paredes pretas num conjunto de dez habitações para entender que a situação é intolerável porque a câmara é a senhoria. São situações de degradação humana. Ninguém merece viver assim. Eu estou ciente das dificuldades financeiras da câmara e por isso parece-me que em primeiro lugar devemos fazer um levantamento das situações mais urgentes e depois definir um plano de requalificação de acordo com esse diagnóstico”. 
A resposta ao vereador do CDS/PP foi dada pela vereadora com o pelouro da acção social na autarquia covilhanense. Em relação ao plano “Covilhã Mais Amiga”, Regina Gouveia sustenta que “essa é uma matéria que me vai ocupar afincadamente porque considero que modernidade não pode coadunar-se com falta de sensibilidade para com os grupos mais desfavorecidos ou que precisam de mais atenção. Agradeço ao senhor vereador por me ir lembrando que temos que concretizar estes desafios porque não se pode caminhar para uma cidade melhor sem os ter em conta”.    
Já em relação à habitação social, a autarca afirma que “já faz parte dos nossos planos trabalhar esse diagnóstico. Em Janeiro vamos avançar com a constituição de uma equipa nesse sentido e a requalificação do nosso parte de habitação social é algo que nós temos previsto”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados