RCB/TuneIn
Sexta, 17 Nov 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
IPCB VAI A VOTOS EM JANEIRO
Rádio Cova da Beira
No último discurso como presidente do instituto politécnico de Castelo Branco, Carlos Maia considera que o aparecimento de várias candidaturas à presidência do IPCB é um sinal de vitalidade da instituição. O acto eleitoral deve ter lugar em Janeiro e o actual presidente nãos e pode recandidatar uma vez que está a terminar o segundo mandato consecutivo, tal como a lei prevê.
Por Nuno Miguel em 31 de Oct de 2017
Na sessão solene comemorativa dos 37º aniversário do IPCB, Carlos Maia mostrou-se convicto de que a instituição vai saber fazer a melhor escolha “o aparecimento de várias candidaturas é um sinal de vitalidade da instituição. Precisamos de bons programas de acção e de candidatos com capacidade para operacionalizar e implementar as medidas necessárias ao desenvolvimento e ao reforço da consolidação do IPCB, sejam elas de continuidade ou resultantes de novas orientações. Tenho a certeza que todo o processo vai decorrer com a maior elevação e dignidade e a instituição terá a maturidade suficiente para fazer a melhor escolha”.
De acordo com o presidente do politécnico albicastrense, são vários os desafios que se colocam o futuro da instituição “em primeiro lugar é necessário resolver o problema do subfinanciamento crónico das instituições de ensino superior, que tem gerado dificuldades estruturais no funcionamento do IPCB e na concretização da sua estratégia institucional. Por outro lado, a captação de alunos será sempre um desafio presente. Prevê-se que a partir de 2019 e até 2030 se verifique uma quebra de alunos a ingressar nos politécnicos e universidades na ordem dos 2,4% ao ano. É um valor muito elevado e é evidente que as primeiras instituições que vão sentir esse decréscimo serão as do interior”. 
Carlos Maia acrescenta que a reorganização da instituição é um aspecto que deve sempre estar presente na mente dos seus dirigentes com o objectivo de promover uma oferta formativa que dê resposta às necessidades da região “devemos evitar promover ofertas formativas para resolver problemas internos da instituição. Temos de adequar a nossa instituição no sentido de melhorar o seu desempenho, reforçar a sua consistência científica e manter a preocupação de promover cursos que respondam às necessidades do nosso tecido sócio-económico. Ninguém compreenderia que, identificada a necessidade de proceder a uma reorganização orgânica e funcional, em nome de um bem maior que nos agrega que é o IPCB, que hesitássemos na implementação das medidas necessárias à concretização de tal objectivo”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados