RCB/TuneIn
Sexta, 20 Out 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PROJECTO PILOTO APRESENTADO NA COVILHÃ
Rádio Cova da Beira
Est√° apresentada a estrat√©gia nacional de educa√ß√£o para a cidadania. A iniciativa vai ser implementada j√° este ano lectivo nas 235 escolas p√ļblicas e privadas que integram o projecto de autonomia e flexibilidade curricular com a integra√ß√£o da disciplina de cidadania e desenvolvimento que vai ser leccionada nos anos iniciais de cada ciclo de ensino.
Por Nuno Miguel em 15 de Sep de 2017
Uma estratégia que foi esta manhã apresentada, a nível nacional, na escola Quinta das Palmeiras, na Covilhã, e onde o ministro da educação não escondeu a vontade de a alargar a todos os estabelecimentos de ensino “este ano a estratégia vai arrancar como projecto piloto em todos os anos iniciais de ciclo, ou seja no primeiro, quinto, sétimo e décimo ano de escolaridade e estamos a trabalhar com as escolas para o poder alargar nos próximos anos. As escolas estão muito receptivas porque tem uma nova ferramenta para trabalhar questões nucleares relacionadas com a educação para a cidadania e esta estratégia acaba por vir legitimar muitos projectos que já aconteciam nas nossas escolas e que agora vão acontecer com outra robustez”
A inclusão desta área nos currículos está inscrita na lei de bases do sistema educativo e também no perfil dos alunos e Tiago Brandão Rodrigues refere que será uma disciplina igual a todas as outras e com efeitos na avaliação final dos alunos “é uma disciplina de copo inteiro porque a cidadania também é de corpo inteiro. A preparação dos mais jovens, que já são cidadãos de plano direito, mas que se preparam para a idade adulta tem de ser plena. Nesse sentido é uma disciplina que passa a integrar os currículos e tem todos os conteúdos para ser contabilizada para a nota e ser uma disciplina de pleno direito em paridade com todas as outras”. 
Já o ministro adjunto do primeiro ministro refere que esta estratégia pretende garantir aos alunos uma preparação adequada para o exercício da uma cidadania activa e esclarecida. Eduardo Cabrita justificou ainda a escolha da Covilhã para a apresentação deste projecto “quisemos dar um sinal da Covilhã para o pais e para o mundo que queremos uma formação de cidadãs e cidadãos apostados numa sociedade inclusiva, solidária e para a qual os valores da igualdade de oportunidades são uma prioridade. A escola e a educação são fundamentais nessa estratégia. Por isso quisemos vir aqui à Covilhã, a uma escola onde alguns projectos já foram desenvolvidos e onde verificámos uma grande motivação de toda a comunidade para construir um mundo melhor”. 
João Paulo Mineiro, director daquele estabelecimento de ensino, sustenta que esta estratégia nacional vem corporizar alguns projectos que a escola já vinha a desenvolver “acreditamos que uma verdadeira cidadania não se aprende através de um ensino transmissivo mas por processos activos e vivenciais. Queremos contribuir para que cada aluno seja um adulto autónomo e consciente e que adquiram competências para lidar com um mundo multicultural em constante mudança”
Vítor Pereira, presidente da câmara municipal da Covilhã, sustenta a importância deste projecto para uma melhor formação de todos os cidadãos “não concebo um cidadão se ele não for bem formado quanto aos princípios e aos valores e não tiver uma referência cultural importante. Um cidadão sem esses valores é u8m cidadão amputado. Não é um cidadão livre e de pleno direito. É essa a nossa causa, é isso que nos move e por isso aqui estamos”. 
Direitos humanos, igualdade de género, participação democrática e interculturalidade são algumas das matérias que vão ser abordadas nesta disciplina. Um projecto que vai ser alargado, de forma paulatina, a todos os estabelecimentos de ensino do país. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados