RCB/TuneIn
Sábado, 16 Dez 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CMF TOMA POSIÇÃO UNÂNIME
Rádio Cova da Beira
A câmara municipal do Fundão tomou uma posição unânime em defesa de ser reconhecido o estatuto de calamidade pública para o concelho na sequência dos incêndios que devastaram o concelho durante o mês de Agosto.
Por Nuno Miguel em 02 de Sep de 2017
Mais de cinco mil hectares ardidos e prejuízos na ordem dos 14 milhões de euros levaram o presidente da autarquia, Paulo Fernandes, a solicitar o envolvimento de todo o executivo nesse pedido “perante a devastação daquilo que foi este nosso incêndio, e até olhando numa perspectiva mais alargada daquilo que aconteceu em toda a região centro, nós fizemos um pedido formal de declaração de calamidade pública. Como sabem ele tem que ser aprovado em conselho de ministros uma vez que é assim que a questão se desenvolve, mas eu gostaria que essa questão pudesse ter o consenso no âmbito da nossa sessão de câmara, tendo em vista reforçar esse quadro de pedido às várias entidades que tem de dar resposta e ajudar-nos nas dificuldades que estão conexas com os efeitos deste incêndio”.
Apesar de ter votado a favor desta proposta, António Quelhas, vereador do PS entende que é preciso que a questão seja mais aprofundada e perceber o que correu mal não só no Fundão mas em todos os concelhos devastados pelas chamas “algo falhou e algo falha; falhou no Fundão como falhou em Pedrógão, em Oleiros e em muitas outras áreas. Algo se passa. E a minha questão vai muito além do quadro de desinvestimento. Há questões nesta estrutura toda que, quanto a mim, tem a ver com bom senso”.  
A autarquia decidiu ainda aprovar uma nota de solidariedade para com todas as populações envolvidas e de agradecimento a todos aqueles que ajudaram no combate às chamas. Questões que vão ser novamente abordadas na próxima reunião da assembleia municipal, que reúne no dia 14 de Setembro.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados