RCB/TuneIn
Domingo, 17 Dez 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
FUNDÃO CRIA PLANO MUNICIPAL PARA A INTEGRAÇÃO DOS MIGRANTES
Rádio Cova da Beira
A candidatura, no valor de 104 mil euros, já foi aprovada pelo Alto Comissário das Migrações e o objectivo do plano é actuar nas das vertentes: por um lado apoiar os emigrantes do concelho que se encontram espalhados pelo mundo e por outro a comunidade estrangeira que reside no concelho e que é actualmente de cerca de 500 pessoas.
Por Paula Brito em 31 de Jul de 2017

"Somos um território que começa a ter vários fenómenos de imigração em várias áreas, desde a agrícola com a comunidade estrangeira que vem adquirindo propriedades nomeadamente na zona sul da Gardunha, quer também trabalhadores altamente especializados que começam a vir para o nosso concelho, temos aqui uma necessidade de reforçar esses serviços para facilitar a inclusão desta comunidade”.

O plano foi anunciado pelo presidente da câmara do Fundão na abertura do colóquio sobre Migrações que debateu a problemática durante dois dias nos concelhos de Sabugal e Fundão, numa organização conjunta dos dois municípios. Segundo Paulo Fernandes a acção do plano vai abranger diversas áreas “programas de cultura e língua portuguesa, de capacitação e formação dos nossos técnicos para melhorarem as respostas que damos a essa comunidade, até a questões muito concretas como a problemática do trabalho temporário”.

O plano municipal para a integração dos migrantes tem a duração de três anos, nos primeiros seis meses será criada a rede de parceiros, que vai ser coordenada a partir do município, para dar resposta a questões diferentes daquelas que já são dadas no gabinete de apoio à migração, mais vocacionado para respostas administrativas e legais. “Este plano trabalha não só nas respostas mas também na prevenção”.  

Segundo o autarca estão actualmente registados no concelho cerca de 460 pessoas estrangeiras. Mais difícil é conhecer o número e emigrantes do concelho a residir no estrangeiro, mas a avaliar pelos fluxos migratórios das décadas de 60 e 70 "estaremos a falar entre 25 a 30 mil emigrantes de primeira e segunda geração, ou seja, tantos quantos os residentes no concelho".


  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados