RCB/TuneIn
Segunda, 11 Dez 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“IBERSACO” PODE SAIR DE PENAMACOR
Rádio Cova da Beira
A possibilidade de vir a transferir a produção da unidade que está sediada naquele concelho para Marrocos ou para o Senegal foi avançada pelo seu administrador, Armindo Borges, durante um debate sobre a reindustrialização do país que decorreu na Covilhã.
Por Nuno Miguel em 31 de Jul de 2017
A empresa, que trabalha no sector das telas e confecção de embalagens, concretizou recentemente um investimento de dois milhões e meio de euros que vai permitir aumentar a produção cerca de 30 por cento este ano. No entanto Armindo Borges sustenta que os empresários que investem no interior são confrontados sistematicamente com alterações ao nível dos custos de produção e por isso admite rumar a outras paragens “estou a considerar seriamente, depois deste investimento, sair de Portugal para Marrocos. As máquinas que foram substituídas por estas novas vão ser colocadas em Marrocos ou no Senegal. Não me interessa trabalhar aqui. Não sabemos com aquilo que podemos contar aqui. Se calhar o valor das portagens vai subir ou os impostos são aumentados. É lamentável. E é pena que estejamos aqui poucos e as nossas vozes não chegam. Estamos na Beira, somos da idade média, gente que não conta para nada”. 
Armindo Borges acrescenta que nas últimas décadas o poder político nunca criou verdadeiros incentivos ou políticas de apoio para as empresas se fixaram nos territórios do interior. O administrador da “Ibersaco” deixa como exemplo a candidatura apresentada pela empresa ao actual quadro comunitário “eu disse ao meu consultor que não me queria meter nisso mas ele acabou por me convencer. Realizámos um investimento de dois milhões e meio de euros mas com o meu dinheiro e o projecto acabou por ser indeferido. Sabem porque? Porque quando foi enviado pelo consultor faltavam 21 folhas que estavam assinaladas mas que não chegaram ao destino. Mas ninguém nos disse que faltavam. Fecharam-se em copas e indeferiram o projecto. E depois já não havia mais dinheiro porque já tinham subsidiado projectos para o litoral”.   

  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados