RCB/TuneIn
Domingo, 17 Nov 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CONTINUAR A ESTRATÉGIA DESENVOLVIDA
Rádio Cova da Beira
António Fidalgo propõe-se prosseguir a aposta na captação de alunos internacionais para a universidade da Beira Interior. O objectivo foi traçado durante a audiência pública dos dois candidatos ao lugar de reitor da UBI.
Por Nuno Miguel em 29 de Jun de 2017
O actual titular do cargo considera que até agora foram alcançados resultados muito positivos e essa estratégia pretende colmatar a diminuição do número de alunos inscritos no ensino secundário em Portugal “nós temos um contexto adverso que é uma diminuição acentuada dos alunos no ensino básico e secundário e que tende a agravar-se depois de 2018. Apesar disso a UBI ainda continua a ser a instituição mais atractiva para os estudantes nacionais entre as instituições do interior do país. Queremos, no entanto, continuar a aposta na captação dos alunos internacionais uma vez que isso contribui para que outros estudantes escolham a UBI para fazer a sua formação, nomeadamente ao nível dos cursos de mestrado e doutoramento”.
A afirmação da UBI na área da investigação é outro dos caminhos apontados por António Fidalgo caso seja reeleito para o cargo. Há no entanto uma dificuldade acrescida pelo facto de os centros de investigação das universidades do litoral absorverem a maior fatia do financiamento disponibilizado pela fundação para a ciência e tecnologia “eu fui provavelmente uma das vozes mais críticas dos métodos de avaliação da FCT porque penso que a avaliação feita aos centros de investigação foi altamente perniciosa para as instituições do interior. Respondemos a isso com uma grande intensidade académica; por exemplo o centro de investigação em ciências da saúde é um bom exemplo da interdisciplinaridade que nós temos e onde os alunos e investigadores cooperam em várias áreas”.    
António Fidalgo destaca ainda o esforço feito pela instituição ao nível das propinas, permitindo um pagamento mais faseado aos alunos. Uma medida que considera acertada em tempos de crise “se fossemos a exigir a todos os alunos que pagassem a sua propina quando fazem a inscrição era mais um milhão de euros que entrava. Mas nós consideramos que face à crise isso poderia conduzir a um maior abandono. Penso que foi uma medida extremamente benéfica para a UBI porque nos permitiu segurar os alunos e de uma forma melhor que outras universidades congéneres”.  
A reivindicação de um novo modelo de financiamento para o ensino superior e o reforço da ligação à comunidade são outros objectivos que António Fidalgo se propõe concretizar, caso seja reeleito como reitor da universidade da Beira Interior.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados