RCB/TuneIn
Quinta, 03 Dez 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
COVILHÃ: MORADORES REIVINDICAM MELHORIA DAS ACESSIBILIDADES
Rádio Cova da Beira
Um grupo de moradores da Quinta da Estremilda, no Tortosendo, deslocou-se à última reunião pública da câmara da Covilhã e onde apelaram ao executivo para que resolva em definitivo os problemas nas acessibilidades que se verificam naquela zona do concelho.
Por Nuno Miguel em 28 de Jun de 2017
De acordo com Paulo Bicho, porta voz do grupo de moradores, a actual situação é insustentável e os moradores aguardam pela resolução de um problema que se arrasta desde 2009 “nesse ano todo o caminho foi provido de saneamento básico e preparado até à fase final para alcatroamento com máquinas no terreno para esse fim. O que é certo é que as máquinas estiveram paradas durante vários dias sem razão aparente e logo após as eleições foram retiradas e o alcatrão não chegou. As obras de reparação que já foram feitas são insuficientes dado que em cada inverno, devido à falta de escoamento, a força de chuva deita tudo a perder e o estado de degradação é visível”.   
Um outro caso, mas o mesmo problema. Fernando Morgadinho, residente junto aos pavilhões da universidade da Beira Interior refere que os acessos naquela zona da cidade estão quase intransitáveis “foi-nos dada a informação de que essa intervenção iria ser feita logo que acabassem as obras no parque industrial do Canhoso mas infelizmente parece que a obra já não faz parte do plano que foi anunciado pela câmara. Vão sempre dizendo que a obra é feita quando houver oportunidade mas o tempo vai passando e não é feita. Ainda nas últimas eleições as pessoas que passaram por lá na campanha viram o estado da via, todos disserem que queriam resolver o problemas mas até agora isso ainda não aconteceu”.  
Na resposta às duas reivindicações, o presidente da câmara da Covilhã sublinhou que as intervenções tão previstas no âmbito do plano de requalificação de acessibilidades que estão a decorrer em todo o concelho. No entanto Vítor Pereira não quis avançar com prazos para a realização destas obras “a prioridade está a ser dada às vias estruturantes principais mas procurando ir a todas as que necessitam e que também apresentar um volume significativo de tráfego e de pessoas. Queremos que a circulação seja feita com comodidade e segurança e importa aqui lembrar que quando chegámos à câmara não tínhamos nem brigada nem máquinas para fazer essas reparações. Ao longo do mandato, e para além da dívida que foi paga, conseguimos fazer esse investimento mas naturalmente que esta é uma tarefa que não se consegue concluir de um dia para outro”.   
Uma reunião do executivo que ficou ainda marcada pelo apelo de José Pinto, vereador da CDU e Pedro Farromba, líder da bancada do MAC para que se reforce a aposta ao nível da prevenção de incêndios florestais.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados