RCB/TuneIn
Terça, 17 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
BENFICA E C.BRANCO-4 G?NDARA-4
Benfica teve o p?ssaro na m?o ? Quando ao intervalo os donos do terreno venciam por 3-1, pensou-se que a vit?ria n?o lhes fugiria. Puro engano! Os jogos s? se ganham quando o ?rbitro d? por terminado o desafio, e a displic?ncia revelada acabou por ser fatal aos comandados de V?tor Cunha, que em 24 minutos viram o G?ndara marcar tr?s golos e passar para a frente no marcador! Per?odo p?ssimo dos albicastrenses que ainda assim conseguiram arranjar for?as para igualar e at? ganhar a partida, mas Miguel Vaz desperdi?ou esse ensejo quando n?o conseguiu converter um penalty aos 89 minutos!
Por Jo√£o Perquilhas em 25 de Oct de 2009

Oito golos são sempre oito golos e revelam pelo menos que o jogo foi intenso. Mas não foi só isto! Este prélio foi fantástico especialmente na primeira metade durante a qual ambos os conjuntos mostraram raça, querer, fantasia e velocidade na arte de bem jogar e sobretudo qualidade nos seus jogadores!

Houve golos para todos os gostos…Fabrício inaugurou o marcador aos 7`com uma chapelada perfeita, Alex empatou 6 minutos depois com um cabeceamento certeiro e o jogo ganhava definitivamente vivacidade! O Benfica não esmoreceu com o empate consentido, antes espevitou, e essa postura foi fundamental para o grande espectáculo que se seguiu. Se de um lado os da casa tentavam passar para a dianteira, do outro estava uma equipa que mostrava audácia, entrosamento e também capacidade para marcar mais golos!

Aos 17`Miguel Vaz cavou inteligentemente uma grande penalidade ao ingénuo Alex que Fabrício não enjeitou e doze minutos depois foi Fixe a ampliar a vantagem com uma jogada individual brilhante, que resultou num golo de belo efeito. Era o melhor período dos da casa que poderiam ainda ter comemorado mais vezes, mas acabaram por levar uma preciosa vantagem de 2 tentos para o intervalo, perante um adversário que praticava bom futebol e só não encurtou as distâncias ainda antes do descanso porque Hélder Cruz, com uma grande defesa a remate de Bandeira, não o permitiu!

Na segunda metade tudo foi diferente… que bicho terá mordido aos albicastrenses? Voltaram permissivos, lentos e até algo acomodados, permitindo que os forasteiros se acercassem com facilidade da sua área. Esta postura, aliada ao facto do erro arbitral que assinalou um livre inexistente e do qual resultou o segundo golo do Gândara, deram o empurrão que catapultou os visitantes para 12 minutos muito bons durante os quais marcaram por mais duas vezes! Leitão na transformação do tal livre aos 57` fê-lo de forma a não dar hipóteses de defesa a Hélder Cruz, Pimpão devolveu o empate à partida 3 minutos depois e aos 69`,de novo Leitão, consumava a reviravolta no placard na transformação de um penalty cometido por Tiago Faria.

Os donos do terreno levavam um autêntico murro no estômago e pagavam caro a forma displicente como menosprezaram um antagonista que já tinha revelado qualidade e capacidade para discutir o jogo e o resultado!

Faltavam ainda jogar 21 minutos mais o tempo de compensação e os da casa eram agora obrigados a correr atrás do prejuízo… Vítor Cunha mexeu no seu xadrez e a sua turma melhorou. Primeiro Quinzinho e depois Sordo e Tiago Marques trouxeram alguma tranquilidade aos seus companheiros, mas mais importante foi terem trazido consigo a irreverência que se alastrou ao seio do grupo. Sentia-se que haveria mais golos e não nos enganámos… Fabrício ameaçou aos 78`e três minutos depois acabou mesmo por empatar a partida na transformação de mais uma grande penalidade, desta vez a castigar o derrube de Leitão sobre Fixe que entrara perigosamente na sua área.  

Era um final alucinante! O Benfica carregava em busca do golo que lhe daria os 3 pontos e remetia o seu adversário para o seu meio campo de onde já raramente conseguia sair com a bola controlada.

Até que … minuto89: Nuno Marques bem solicitado por Miguel Vaz entra na área e é rasteirado pelo guardião Mauro! Novo penalty a favor do Benfica e a possibilidade de conseguir a vitória estava ali á sua mercê! Desta vez a responsabilidade de marcar a falta coube a Miguel Vaz mas foi infeliz na sua transformação e acabou por deixar tudo como estava, isto é com a divisão de pontos que até se aceita. Enfim, aceita-se mas foram dois pontos que voaram e o Benfica teve na mão…

A arbitragem de António Martins foi contestada pelos dois conjuntos. Nas grandes penalidades assinaladas (e foram 4!) esteve bem e revelou acima de tudo coragem. A nível técnico esteve mal essencialmente no lance que acabou por proporcionar o segundo tento ao Gândara, visto que Miguel Vaz não cometeu qualquer falta. No capítulo disciplinar também errou algumas vezes acabando mesmo por perdoar a expulsão ao capitão Ricardo António…


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados