RCB/TuneIn
Segunda, 13 Jul 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
PRIMEIRO “LIVRO GARRAFA” LANÇADO NO FUNDÃO
Rádio Cova da Beira
Os livros associados ao vinho e este apreciado néctar impresso nas páginas de obras literárias não são propriamente novidades mas lançar um "livro garrafa" muda de figura.
Por Paulo Pinheiro em 24 de May de 2017

No âmbito do Festival Literário da Gardunha, a A23 Edições recuperou três líricos para dar vida a este livro designado “Poemas do Amor e do Vinho”

“É a conjugação de três líricos: Gonçalo Salvado, o poeta que fez 77 poemas do amor e do vinho, ilustrado pelo escultor José Rodrigues, estamos a falar do Picasso português. O vinho é um Reserva do Patrão de 2014, com a assinatura do produtor da Quinta dos Termos, João Carvalho, numa edição limitada de mil garrafas”, explica Ricardo Paulouro.

A ideia foi acolhida com entusiasmo pela Quinta dos Termos “ a motivação principal foi ter um vinho feito com a preferência pessoal e muito amor que o meu pai tem pela propriedade, um quinta que é da família há várias gerações, e este é um dos vinhos preferidos dele. Faz todo o sentido esta união e o vinho seleccionado para o evento”, refere Pedro Carvalho, filho do proprietário da Quinta.

Para o autor do livro, este é um novo conceito de divulgação de poesia

“É o primeiro livro garrafa editado em Portugal. É uma nova aposta e um novo conceito de difusão da poesia que está conectado com uma tradição já muito vasta na poesia ocidental que é a presença do vinho”, refere Gonçalo Salvado.  

Sobre esta nova concepção, as opiniões convergem “juntar dois prazeres é fantástico e a poesia, muitas vezes, também precisa que nos libertemos um pouco”, afirma João Morgado.

“Esta relação entre o vinho e a arte, e a literatura em particular, não tem nada de novo são praticamente contemporâneos. Aqui há uma poesia, o lançamento de um livro de um poeta ainda jovem que faz uma relação muito profunda e ao mesmo tempo sintética na sua expressão estética entre o amor e o vinho, que não é novo, mas o aspecto formal e a qualidade do trabalho por ele apresentado têm uma dimensão que nos apraz registar”, refere Laborinho Lúcio.   


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados