RCB/TuneIn
Terça, 27 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
PSD QUESTIONA AJUSTES DIRECTOS NA COVILH
Rádio Cova da Beira
A concelhia do PSD da Covilhã vem, em comunicado, questionar os motivos que levaram a câmara municipal a triplicar os encargos em meio milhão de euros com a adjudicação de 11 projectos de engenharia e arquitectura por ajuste directo este ano.
Por Nuno Miguel em 23 de May de 2017
Os social democratas manifestam o seu “contentamento” pelo facto de existir “uma vontade de mudar na dinâmica política da câmara municipal que nestes últimos meses tem dado mostras de alguma necessidade de justificar a sua eleição”, acrescentando que “num verdadeiro exercício de formiguinha obreira, em jeito electivo, o presidente da câmara da Covilhã deitou fora o seu traje de cigarra bem vestida, estrela principal da fábula com que entreteve a população do concelho durante os últimos três anos de mandato, numa música que tinha como letra principal o constante lastimar da falta de recursos”.
Neste comunicado, o PSD da Covilhã afirma que o presidente da câmara municipal “sabe que o ajuste directo é um instrumento legal que está limitado por lei a questões de reduzido valor ou enorme simplicidade” e questiona os motivos “por que se passou de zero projectos de engenharia e arquitectura em 2014 para 11 em 2017, onerando a câmara da Covilhã em quase meio milhão de euros”.
Nesse sentido os social democratas interrogam se o presidente da câmara da Covilhã “só em 2017 descobriu as necessidades de pavimentação das estradas municipais e da execução de outros investimentos e qual o «milagre» financeiro que se operou no município para fazer face a este subido acesso obreiro em virtudes dos lamentos anteriores”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados