RCB/TuneIn
Sexta, 24 Nov 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
COVILHÃ ACOLHE COMEMORAÇÕES NACIONAIS DO DIA MUNDIAL DA HIPERTENSÃO
Rádio Cova da Beira
O presidente da sociedade portuguesa de hipertensão considera que é necessário reforçar as medidas de prevenção e informação junto dos cidadãos com o objectivo de travar uma patologia que continua a ser uma das principais causas de óbito em Portugal.
Por Nuno Miguel em 17 de May de 2017
Nas comemorações do dia mundial da hipertensão, que estão a decorrer na Covilhã, Manuel Carvalho Rodrigues sublinhou que um em cada três portugueses continua a ser vítimas deste problema, embora reconheça que já foram dados passos muito importantes para inverter a situação “este vector da informação tem neste dia mundial da hipertensão o seu expoente máximo porque ele pode ser um motor um arranque para mudar hábitos e alertar consciências. Nós fizemos já muito e bem no sentido de alertar as pessoas para os riscos de uma alimentação inadequada, nomeadamente naquilo que tem a ver com o consumo de sal. Mas a pergunta que temos feito é que se já fizemos muito e bem porque é que os números continuam tão altos”. 
Um dos aspectos que pode ser melhorado diz respeito à administração de medicamentos. Manuel Carvalho Rodrigues estima que 25 por cento das pessoas não cumpra o plano de tratamento que lhe foi prescrito “o doente não está habituado a aderir ao tratamento; estamos a falar de um tratamento que não é para um dia mas para uma vida e quando nós dizemos a uma pessoa que tem de tomar quatro ou cinco comprimidos por dia ela vai-se esquecer de tomar um ou acha que são muitos. Por isso é também importante que as nossas autoridades criem condições para que a medicação possa ser simples, cómoda e eficaz uma vez que temos condições para isso”.   
O reforço da formação junto dos profissionais de saúde é outro dos caminhos apontados pelo presidente da sociedade portuguesa de hipertensão para que os efeitos deste problema não se façam sentir de uma forma tão negativa “é preciso intensificar a ideia, junto dos profissionais de saúde, de que a tensão arterial não está assim-assim. Ou está bem ou está acima dos valores normais. Dizer que está assim assim é algo que acabou; isso é continuar a matar portugueses”.
Já o presidente da câmara municipal da Covilhã congratulou-se com a escola da cidade para a realização destas comemorações e para a importância de sensibilizar as populações a mudarem alguns dos seus hábitos de vida. Vítor Pereira deixou o seu próprio exemplo “é uma doença silenciosa, que não avisa quando nos bate à porta e eu falo por experiência própria. Por isso entendo que esta iniciativa é muito importante no sentido de fazer soar os alarmes para que os nossos concidadãos tenham hábitos saudáveis de vida, melhorem a alimentação, façam mais exercício físico e evitem ter comportamentos de risco”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados