RCB/TuneIn
Quinta, 18 Jul 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
AMBULÂNCIA DE EMERGÊNCIA DA COVILHÃ: PCP QUESTIONA MINISTÉRIO DA SAÚDE
Rádio Cova da Beira
O grupo parlamentar do PCP na Assembleia da República, através da deputada Paula Santos, questiona o Governo acerca da redução do horário da ambulância de emergência da Covilhã, a partir do próximo dia 1 de Maio 2017.
Por Paulo Pinheiro em 26 de Apr de 2017

Na pergunta dirigida ao Ministério da Saúde, o Partido Comunista Português refere que a eventualidade de no período nocturno (entre a meia-noite e as oito horas) a ambulância do INEM na Covilhã não funcionar, reduzirá a capacidade de socorro à população em situação de emergência

 

" A concretizar-se esta proposta é a população que será penalizada e que ficará mais desprotegida no acesso à saúde, em particular numa situação de emergência onde o tempo é um factor determinante. Esta proposta é ainda mais grave atendendo a que se trata de reduzir meios de socorro num território do interior, onde existe inúmeras populações isoladas", refere o PCP.

 

Os comunistas recordam ser conhecida a carência de profissionais do INEM, mas a solução não pode ser reduzir os meios de socorro "mas sim tomar todas as medidas para contratar e reforçar os trabalhadores necessários de forma a assegurar adequadamente o socorro às populações".

 

O PCP pretende saber se o Ministério da Saúde confirma a intenção de reduzir o horário de funcionamento da ambulância do INEM na Covilhã no período nocturno, se a resposta for positiva qual a razão, e se foram consideradas as características específicas deste território do interior

 

“Pondera (o Governo) reverter esta intenção e contrariamente ao que está proposto reforçar os meios de socorro à população do INEM nesta região, nomeadamente através da contratação dos trabalhadores em falta integrando-os na carreira com vínculo público?”, pergunta o grupo parlamentar do Partido comunista Português. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados