RCB/TuneIn
Segunda, 29 Mai 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“FALTA UM RUMO ESTRATÉGICO A PENAMACOR”
Rádio Cova da Beira
A frase resume o balanço que o vereador da oposição, Pedro Folgado, faz do mandato da maioria socialista à frente do município “esse é um dos pecados capitais do executivo, é não se conseguir identificar uma estratégia de desenvolvimento para o concelho.”
Por Paula Brito em 07 de Apr de 2017
 

Segundo o vereador da coligação “Juntos por Penamacor”, e passados quatro anos, “continuamos ainda hoje sem ter uma orientação estratégica para a fixação de pessoas, para a promoção da natalidade, para a geração de emprego e continuamos sem uma orientação política que seja para a juventude, ora isto num dos concelhos mais envelhecidos do país, é dramático”.

Em entrevista à RCB, Pedro Folgado enumera ainda outros pecados cometidos pela maioria liderada por António Beites. A começar pelo processo do Hotel que, a seis meses do fim do mandato, ainda não está resolvido “a aquisição do antigo imóvel Nossa Senhora do Incenso é outro pecado, foi um investimento avultadíssimo do município e até à data sem qualquer utilidade, o arranjo em frente à câmara municipal não seria, do nosso ponto de vista, prioritário, ou por exemplo o montante gasto na aquisição dos imóveis para o largo do madeiro, a obra está bem, mas o montante pago por aqueles imóveis foi excessivo”.

O autarca enumerou também os aspectos positivos do mandato, marcado pela resolução da situação financeira herdada do anterior executivo. Um passado de que a actual maioria não se pode demarcar uma vez que há um membro do executivo que transitou o anterior e os restantes assumiram no passado outras responsabilidades, todos sob a sigla do PS “a grande responsabilidade é do PS não tenhamos ilusões disso, aliás desde o inicio dos anos 80 até agora, com o breve intervalo de 2001 com um movimento independente que foi sol de pouca dura, foi o PS o grande responsável pela condução dos destinos políticos do concelho de Penamacor, e portanto, se estamos no ponto que estamos a responsabilidade é do Partido Socialista”.

Segundo Pedro Folgado há uma obra na vila, o salão paroquial, que exemplifica bem o que se passou no concelho sob a gestão socialista “essa obra, além de ser emblemática de um passado recente, ainda hoje é o maior cancro que temos na vila de Penamacor. O que eu acho é que foi um erro começar-se a intervenção sem ter a garantia de todo o investimento, e agora quem paga são os munícipes porque não têm um espaço com as características que o salão tinha, já foi lá investido um elevado montante do erário público e a verdade é que continua fechado e a obra incompleta”.  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados